Gabriel Jesus pertence ao Manchester City, da InglaterraDaniel Castelo Branco

Rio - Nesta terça-feira, em comunicado oficial, a Premier League decidiu não liberar jogadores para a próxima data Fifa, como é o caso de seleções que vão disputar partidas em países da "lista vermelha" do Reino Unido.
A medida afetará 60 jogadores de 19 times ingleses diferentes. Na ocasião, os atletas têm viagens previstas para 26 países fora do Reino Unido na próxima data Fifa, em setembro. Por este motivo, a seleção brasileira pode obter nove desfalques para os próximos jogos pelas eliminatórias sul-americanas, contra Chile, Argentina e Peru.
Publicidade
Além disso, a decisão é clara ao citar a atual posição da Fifa de não ampliar a exceção de liberação temporária para jogadores que devem ficar de quarentena no momento em que retornarem do serviço internacional.
"Extensas discussões foram realizados com a federação de futebol inglês (FA) e o governo para encontrar uma solução, mas por causa das preocupações com a saúde pública no que diz respeito a viajantes oriundos de países da lista vermelha, nenhuma exceção foi garantida", disse a Premier League, em nota.
Publicidade
Em alegação ao assunto, a liga diz que se jogadores tiverem que cumprir quarentena, não só o bem-estar deles como a condição física seriam "significativamente impactados". Isso implicaria também em desfalques em duas rodadas da competição nacional, sendo um jogo pelos torneios continentais, e também pela Copa da Inglaterra.
A quarentena de 10 dias não seria o suficiente, pois não incluiria o período necessário para o jogador recuperar a forma. A prolongação da Fifa em janelas de jogos de seleções da Conmebol em setembro e em outubro, de nove para 11 dias, deixaram os clubes insatisfeitos.
Publicidade
Portanto, a Premier League destaca que a entidade máxima do futebol internacional deve chegar a uma "conclusão agradável" a todos os envolvidos na questão.