Mais Lidas

FALTA BOLA NA REDE

COLUNA APOLINHO PARA O DIA 3/3

Por O Dia

O Fluminense recebe o CD Antofagasta (Chile) no Maracanã, pelo jogo da primeira fase da Copa Sul-Americana. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia.
O Fluminense recebe o CD Antofagasta (Chile) no Maracanã, pelo jogo da primeira fase da Copa Sul-Americana. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia. -

O toque de bola refinado no futebol não é como apregoam alguns uma invenção de Pep Guardiola. Tem quase a idade da bola. Na minha memória aparecem os times do América dos anos 1950, o famoso Tico-Tico no Fubá, e depois a Holanda de 1974 com o Carrossel . A diferença entre os dois: o América tocava, tocava, era bonito de ver, mas não era objetivo, concluía pouco. A Holanda mostrava um futebol vistoso e letal, tal qual o Barcelona da época do Guardiola que soube copiar a fórmula. Hoje, no Brasil, a maioria tenta algo parecido, mas sem sucesso. Os jogos são disputados sem intensidade, entre as intermediárias, com toques laterais inúteis. O público assiste bocejante, os goleiros aparecem mais em bolas atrasadas com irritante regularidade. O Fluminense do Fernando Diniz (foto) faz força para ser diferente, mas também fica devendo. Na sexta-feira chegou a 80% de posse e suou para empatar com o Resende em 1 a 1. Falta emoção.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários