OS RISCOS DO VAR

COLUNA APOLINHO PARA O DIA 4/3

Por O Dia

Bastidores do trabalho do árbitro de vídeo (VAR) na Semifinal da Copa do Brasil 2018
Bastidores do trabalho do árbitro de vídeo (VAR) na Semifinal da Copa do Brasil 2018 -

O auxílio da moderna tecnologia em favor da qualidade dos espetáculos é uma necessidade clamada por todos e que, com algum atraso, aterrissa no mundo do futebol. A CBF determinou e já nesta edição do Brasileirão teremos o Árbitro de Vídeo (VAR) nos 380 jogos da Série A. O grande problema a ser enfrentado nesta primeira experiência é a falta de treinamento do pessoal envolvido. Serão dez jogos por rodada, 900 minutos em que árbitros, de campo e de vídeo. serão responsáveis pela boa execução do projeto. O VAR só pode interferir em três situações: revisão de lances de gol, pênaltis, e identificar jogadores ao aplicar cartões, tanto amarelos quanto vermelhos. Cabe ao árbitro de campo as decisões, o VAR é instrumento de apoio. Uma vez entendido isso, será necessário muito treinamento ministrado por quem domine bem a matéria, sob pena piorar o nível de arbitragem, que já é assustadoramente ruim no Brasil.

Comentários