Passageiros da agonia

Por O Dia

O técnico Marcão enfrenta um momento de muita pressão à frente do Tricolor, sem vencer há cinco jogos
O técnico Marcão enfrenta um momento de muita pressão à frente do Tricolor, sem vencer há cinco jogos -
A situação do Fluminense no Brasileirão já foi difícil, hoje é desesperadora. Com 31 pontos em 30 jogos, faltando oito rodadas, 24 pontos na mesa e precisando ganhar 14 para fugir do rebaixamento, terá que capinar sentado no sol e sem chapéu para alcançar o objetivo. Começou mal, perdeu tempo e pontos preciosos sob o comando de Fernando Diniz. Na tentativa de mudar, errou a mão, seguiu patinando e agora resta rezar por um milagre desses que raras vezes acontecem no futebol. Na esburacada trilha que pode conduzi-lo à salvação, o Fluminense disputará oito jogos, cinco deles fora de casa. Receberá Atlético-MG, Palmeiras e Fortaleza e visitará São Paulo, Internacional, CSA, Avaí e Corinthians. Se vencer cinco deles, estará salvo. Para quem em 30 jogos ganhou apenas oito, vencer cinco em oito, entrando em campo com a corda no pescoço, será uma árdua missão. Resta aos torcedores tricolores acreditar e apoiar.

VAI FERVER

Ganhar do Palmeiras, vice-líder d Campeonato Brasileiro, mesmo em São Januário não será tarefa simples, mas em futebol tudo é possível. O Vasco está em ascensão. Sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, vem mostrando progressos. O Palmeiras reagiu bem à chegada de Mano Menezes, vem mantendo-se na disputa do título mesmo sem ser brilhante, chega como favorito, mas sabe que não vai encontrar moleza e que a galera rubro-negra estará secando seu caçador.

PEDALADAS

Mano Meneses viu a bola quicando no programa 'Bem, Amigos' e fuzilou. Quando afirmaram que sua entrada no lugar do Felipão foi mais do mesmo, disse que é sempre bom mudar para arejar e que seria ótimo, por exemplo, trazer comentaristas portugueses para o Brasil. Na canela.
Jobson, aquele que surgiu no Botafogo, tentará a sorte na Portuguesa da Ilha do Governador.

BOLA DENTRO

Tiago Nunes é um técnico discreto, sabe trabalhar em equipe e seu sucesso no organizado Athletico-PR despertou a cobiça de outros clubes, mas vai mesmo para o Corinthians.

BOLA FORA

Daniel Alves atribuiu a vitória sobre a Chapecoense a pacto feito pelo grupo. Se para ganhar da pobre da Chapecoense o São Paulo precisou de pacto, a coisa deve estar peluda.

Comentários