Experiente, Juan não poupa críticas: 'Todos os setores têm de jogar melhor'

Zagueiro rubro-negro bate na tecla do equilíbrio para que o time do Flamengo se recupere no restante da temporada

Por renata.amaral

Rio - A experiência de Juan não tem sido suficiente para fazer com que o Flamengo engrene na temporada. Com um currículo recheado de títulos por grandes times, incluindo a seleção brasileira, o zagueiro, aos 37 anos, exerce uma espécie de liderança espontânea no grupo rubro-negro. Tranquilo, apesar da maré agitada que passa pela Gávea, o jogador bate na tecla do equilíbrio para buscar uma melhora no time.

"Só insistindo é que você forma um time vencedor. As coisas certas têm de ser mantidas, e temos de mudar as que estão erradas. A gente não fala de setor, de jogador, fala de time. O time precisa de equilíbrio como um todo. Fora de campo não é minha área, mas dentro de campo posso te falar que todos os setores têm de jogar melhor como um time", disse Juan, que completou:

"Time está alternando muito. Faz bons jogos, mas também sofre derrotas. Às vezes no próprio jogo alterna muito a performance. Temos que arrumar uma forma de colocar todo o nosso potencial em campo."

Uma das grandes dificuldades encontradas pelo Flamengo desde o início da temporada tem sido a falta de um estádio fixo para jogar. Apesar de ter apostado no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, para mandar a maioria de suas partidas, o Rubro-Negro sofre com a distância, inclusive para incentivar a torcida a comparecer.

"Claro que é um pouco diferente você não jogar na sua casa, não ter a sua torcida local. Falo isso porque passei essa experiência no Inter também quando o Beira-Rio estava fechado. Jogava em Porto Alegre, mas em outro local. Não serve como desculpa, tem que trabalhar com essa dificuldade. Mas sempre foram anos difíceis para os times que não tiveram estádio. Talvez a torcida estranhe, mas não vejo isso em campo. A gente tem lutado em campo. É preciso saber diferenciar: lutar serve, faz parte do futebol. Mas às vezes você luta sem organização. Falta aquela coisa do equilíbrio, de você encontrar as jogadas certas para que isso resulte em resultados positivos. Quando se perde, sempre apontam vários defeitos", explicou Juan.

Eliminado da Copa do Brasil, o time de Muricy Ramalho poderá se dedicar exclusivamente ao Campeonato Brasileiro. Após a estreia com vitória, contra o Sport, o Rubro-Negro busca manter uma sequência positiva na competição, para afastar a má fase. O próximo compromisso será contra o Grêmio, no domingo, às 16h, na Arena do Grêmio.

"O que está faltando? A gente ainda não identificou, mas estamos buscando o certo. Futebol não é só parte teórica. Parte teórica a gente sabe, imprensa sabe e torcedores também. A transformação para a prática às vezes demora um pouquinho. Em alguns momentos sai melhor em campo, em outros não. Os momentos em que a gente talvez dê brecha aos adversários tem acontecido a punição mais dura, com gols", concluiu o zagueiro.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia