Mais Lidas

Diego convoca torcida do Flamengo para partida decisiva pela Sul-Americana

Rubro-negro enfrenta o Junior Barranquilla nesta quinta no Maracanã

Por pedro.logato

Rio - O Flamengo tem no Maracanã seu porto seguro. Quando precisa, se abriga na casa histórica. E nela encontra o conforto de uma invencibilidade de 20 jogos que dura quase dois anos. Se a sensação de pertencimento entrar mais uma vez em campo, o Rubro-Negro, comandado pelo camisa 10 Diego, largará na frente no primeiro jogo da semifinal da Sul-Americana, contra o Junior Barranquilla (COL), nesta quinta-feira, às 21h45.

Até ontem, 27.500 ingressos haviam sido vendidos. O número abaixo do esperado na antevéspera da partida diminui a perspectiva de receita, mas não a esperança por vitória. A última derrota do Flamengo no Maracanã aconteceu em 6 de dezembro de 2015, para o Palmeiras, por 2 a 1, pelo Brasileiro.

Diego concedeu coletiva no FlamengoGilvan de Souza / Flamengo / Divulgação

Embora os empates superem as vitórias 11 a 9 , nos momentos decisivos, a atmosfera do Maracanã tem feito a diferença. Em dois duelos no estádio, o time eliminou o Fluminense nas quartas de final da Sul-Americana. Nele, também despachou o Botafogo na semifinal da Copa do Brasil e ganhou os três jogos que disputou pela Libertadores, apesar da eliminação perdeu todos fora de casa.

"Vim para cá com esse sonho. Um dos meus atrativos era vestir a camisa do Flamengo no Maracanã, com ambiente positivo e jogos decisivos. Passa um pequeno filme na minha cabeça. Isso aflora no Maracanã. Grande honra vestir essa camisa num grande estádio. Fatores que motivam e que justificam minha decisão de vestir essa camisa", afirmou Diego que, além da magia do Maracanã, tem a seu favor, na Sul-Americana, a mística da camisa 10.

"Quando disse que alguns fatores me fizeram vestir a camisa do Flamengo, sem dúvida que Zico usando a 10 foi um deles. A 10 do Flamengo, como a do Santos, pelo que o Pelé fez com ela, é especial. Chegar ao estádio e ver a 10 com seu nome é um prazer".

Os desfalques, no entanto, pesam. Além do atacante peruano Paolo Guerrero, suspenso provisoriamente pela Fifa após ser flagrado no doping, o técnico Reinaldo Rueda ainda não sabe se poderá escalar Everton, que se recupera de um edema na coxa esquerda. Na defesa, porém, o colombiano terá a volta de Juan, poupado do último jogo, e, provavelmente, de Réver, livre da lesão no joelho direito.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia