Flamengo declara guerra à CBF: 'sistematicamente prejudicado'

Rubro-Negro manifesta 'repulsa' por convocação de Paquetá e escalação de juiz

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Bandeira de Mello é o presidente do Flamengo
Bandeira de Mello é o presidente do Flamengo -

Rio - O Flamengo tornou oficial nesta terça-feira sua revolta com a posição da CBF diante de dois casos que cercam o primeiro jogo da semifinal da Copa do Brasil diante do Corinthians, na quarta, no Maracanã. Em nota, o clube carioca atacou a entidade pela convocação de Lucas Paquetá para a seleção brasileira e a escalação de Bráulio da Silva Machado como árbitro da partida de ida.

Sem poupar críticas, o Flamengo alegou se sentir "sistematicamente prejudicado pela atual gestão da CBF" e considerou que trata-se de uma resposta à "postura adotada pelo clube em relação à governança da entidade". Sobre estes dois casos em especial, a diretoria rubro-negra manifestou "repulsa" às decisões tomadas pela confederação.

A primeira reclamação do Flamengo foi em relação à postura da CBF diante da convocação de Lucas Paquetá, que pode ficar de fora da partida de quarta-feira, após ser convocado para amistosos da seleção brasileira nos Estados Unidos.

"No caso específico dos amistosos da seleção, chama a atenção a intransigência da CBF em relação às alternativas apresentadas pelo Flamengo para que pudesse contar com o atleta convocado. Foram sugeridas a mudança da data do primeiro confronto contra o Corinthians e a liberação da participação de Lucas Paquetá na partida contra El Salvador, um adversário de valor duvidoso para a preparação do Brasil. A entidade, no entanto, manteve-se inflexível", criticou o clube.

Na nota, o Flamengo lembrou ainda que teve o volante Cuéllar e o lateral Trauco convocados para as seleções colombiana e peruana, respectivamente, e considerou que "a inadequação do calendário tirou os jogadores de duas partidas do Campeonato Brasileiro, claramente provocando desequilíbrio técnico na principal competição administrada pela entidade".

Sobre a escalação de Bráulio da Silva Machado para o duelo desta quarta, o Flamengo a considerou "absurda". O clube carioca lembrou da polêmica atuação do árbitro no confronto do primeiro turno do Campeonato Brasileiro diante do Palmeiras, em São Paulo, quando jogadores e dirigentes rubro-negros consideraram que o time foi bastante prejudicado.

"Foi ele (Bráulio) quem teve atuação lamentável no jogo entre Palmeiras e Flamengo no primeiro turno do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, deixou de expulsar o jogador Felipe Melo após entrada criminosa em Vinicius Júnior, ato que poderia ter causado séria lesão ao jovem atleta. Além disso, terminou a partida antes do tempo previsto, sendo que o adversário estava neste momento atuando com um volante no lugar do goleiro que havia sido expulso, impedindo que o Flamengo buscasse os três pontos nos momentos finais do jogo. Esses fatos e outras ocorrências recentes fazem com que o Flamengo sinta-se sistematicamente prejudicado pela atual gestão da CBF".

A nota não citou o polêmico episódio do lateral Fagner, desconvocado da seleção brasileira por lesão e que vai reforçar o Corinthians no Rio. Como conclusão, porém, o clube carioca considerou que "a CBF deveria tratar todos os seus filiados com igualdade e isenção e não fustigar com ações de bastidores aqueles que, como o Flamengo, são incansáveis na busca pela real profissionalização do futebol brasileiro".