Gol de Arrascaeta relembra título histórico do Flamengo e Rondinelli diz: 'É um prenúncio'

Conquista do Carioca de 1978 deu início à geração rubro-negra que venceu a Libertadores e o Mundial em 1981

Por HUGO PERRUSO

Rondinelli virou ídolo do Flamengo graças ao gol de 1978
Rondinelli virou ídolo do Flamengo graças ao gol de 1978 -

Rio - O gol do título da Taça Rio, marcado por Arrascaeta, fez os rubro-negros voltarem no tempo, mais precisamente para 1978, quando Rondinelli garantiu o troféu do Carioca contra o mesmo Vasco no Maracanã. Era o início a uma série de conquistas da geração mais vitoriosa da história do Flamengo. A semelhança entre os dois gols, saídos em cruzamentos da direita, com movimentação parecida, cabeçadas e bola entrando no mesmo canto tem sido vista por torcedores como um prenúncio de grandes títulos para o elenco atual, assim como aconteceu naquela época. O próprio Deus da Raça pensa assim.

"É uma bela coincidência. O gol do Arrascaeta foi em uma jogada com bola rolando e o meu, em escanteio. A maneira como ele entra na área é parecida. Eu acredito que é um grande prenúncio à vista. Mas para início tem que ganhar o Carioca", afirmou Rondinelli, que num primeiro momento não se tocou da semelhança entre os gols.

"Estava ao lado do meu filho vendo o jogo e foi ele que falou (que lembrava o gol de 78)".

Apesar dos lances parecidos, a diferença de peso entre os dois gols é enorme. O de Arrascaeta, nos acréscimos, levou a disputa com o Vasco para os pênaltis (1x1) e garantiu a conquista apenas da Taça Rio. Já o do zagueiro  Rondinelli, aos 41 do segundo tempo, fez o Flamengo vencer por 1 a 0 e sagrar-se campeão Carioca. O empate em 1978 daria o título do segundo turno aos vascaínos, que iriam decidir a final do Estadual com os rubro-negros, vencedores do primeiro turno. 

O gol de Rondinelli ficou marcado para sempre na memória dos torcedores não apenas por ter sido no fim do clássico, mas também porque foi a primeira conquista de uma nova geração liderada por Zico, que cobrou o escanteio. Como o Flamengo vinha de três anos decepcionantes, a pressão por resultados era enorme. Para muitos, o título de 78 garantiu a aposta nos novos jogadores criados na Gávea (além de Zico, Júnior, Tita e Adílio jogaram a final), que iriam conquistar a Libertadores e o Mundial em 1981.

"Bate um orgulho deixar sua marca na história do clube. Aquele gol foi o começo de uma grande geração, um grande divisor de águas para conquistar tudo quanto é título. Tomara que essa geração também faça a sua história e conquiste muita coisa", disse Rondinelli, reforçando que o caminho ainda é longo para a atual geração: "Vejo semelhança de jogada, mas Arrascaeta está escrevendo a história dele. O Flamengo ainda precisa ser campeão Carioca apara buscar os outros títulos".

Comentários