Arrascaeta, um matador em decisões

Uruguaio mantém excelente retrospecto de balançara a rede em grandes jogos e faz jus ao peso de ser a contratação mais cara da história do Fla

Por HUGO PERRUSO

"É uma sensação de dever cumprido. É meu primeiro título pelo Flamengo e ainda marcando. É muito gratificante", festejou Arrascaeta -

Contratação mais cara da história do Flamengo, Arrascaeta não conseguiu deslanchar na temporada, mas, ao garantir o empate com o Vasco, mostrou uma de suas características: o poder de decisão. Ao marcar o gol nos acréscimos, o jogador rubro-negro manteve seu bom desempenho de goleador em finais e em clássicos.

Agora, são cinco gols em sete jogos valendo título. O primeiro troféu levantado pelo Flamengo se junta às conquistas de um Mineiro e duas Copas do Brasil pelo Cruzeiro. Em todas elas, Arrascaeta marcou em pelo menos um dos confrontos da final. A única vez em que passou em branco no Brasil foi no vice-campeonato para o Atlético-MG, no Estadual de 2017.

Há dois anos, o uruguaio fez um gol na primeira partida da final da Copa do Brasil contra o Flamengo e só jogou os últimos seis minutos da segunda. Em 2018, Arrascaeta marcou nos dois jogos da decisão mineira, sobre o Atlético-MG e deixou a sua marca no único jogo que disputou no duelo contra o Corinthians, que deu o título da Copa do Brasil ao Cruzeiro. O desempenho voltou a se repetir agora pelo Flamengo.

"É uma sensação de dever cumprido vencer essa taça depois de voltar da seleção (uruguaia). Ganhar fazendo um gol, sem dúvida é um dia incrível. É meu primeiro título pelo Flamengo, e ainda marcando é muito gratificante", comemorou Arrascaeta após a conquista da Taça Rio.

Em clássicos, Arrascaeta já marcou duas vezes sobre o Vasco. Em Minas Gerais, fez seis gols em 14 jogos contra o Atlético, e oito em 12 partidas contra o América. "Além de final era um clássico, temos que deixar tudo em campo", disse o uruguaio.

Comentários