Dirigente do Flamengo vê pichação como ato político: 'Torcedor não escreveria Mickey certo'

Muros da sede do Rubro-negro foram marcados após derrota

Por O Dia

Muro da Gávea
Muro da Gávea -
Rio - O diretor de relações externas do Flamengo, Cacau Cotta fez uma afirmação polêmica no programa "Donos da Bola", da Bandeirantes. Segundo o dirigente, as pichações que ocorreram na sede do clube foram políticas. 
"Foi claramente um ato político. Caso fosse um torcedor que tivesse escrito, não teria escrito "Mickey" daquela forma, sem nenhum erro de grafia", opinou o dirigente.
O Flamengo foi derrotado pelo Atlético-MG, no último sábado, e na madrugada de domingo, os muros da sede do clube carioca acabaram sendo pichados com críticas ao técnico Abel Braga e também a dirigentes rubro-negros.

Comentários