Preparador físico do Flamengo critica personal por 'falta de comunicação' durante a quarentena

'Não há como trabalhar da forma que está sendo feita, sem que os profissionais que trabalham no clube saibam o que o atleta faz fora e vice-versa', postou Betinho, do Flamengo

Por Lance

Mário Monteiro conversando com Betinho, preparador físico que já era do clube, durante treinamento
Mário Monteiro conversando com Betinho, preparador físico que já era do clube, durante treinamento -
Rio - Desde o início da quarentena, o Flamengo emitiu uma cartilha de treinos para os jogadores seguirem, além de enviar equipamentos do Ninho do Urubu, visando o aprimoramento dos atletas em suas respectivas casas e dependências. No entanto, um mal-estar surgiu nas últimas horas por conta desta tema. 

Explica-se: Rafael Winicki, personal trainer de diversos jogadores do elenco rubro-negro e que não é funcionário do clube, não estaria mantendo contato e dado feedbacks a respeito de desempenhos ao clube. A informação inicial é do jornalista Venê Casagrande, do jornal "O Dia".

Além disso, na noite da última terça-feira, Roberto Oliveira, preparador físico do Flamengo, se manifestou em seu perfil no Instagram. Ele abordou a situação e fez alguns questionamentos quanto a Winicki, motivado pela transmissão ao vivo que o personal realizou com o jornalista Fábio Azevedo.

"Eu achei que já tivesse visto de tudo nessa vida. Agora, personal que nunca trabalhou com futebol dizer data que jogador poderá atuar após a pandemia e garantir que o atleta estará de volta em "duas semanas". Gostaria de ver essas pessoas se explicando, se promovendo, fazendo live quando seus alunos lesionam, pois não existe integração nenhuma com 99% dos personais, fisioterapeutas. Por culpa deles, somente o clube e quem trabalha lá sabem o prejuízo que é um atleta ficar fora de um treinamento ou de um jogo", escreveu Roberto, conhecido como Betinho, que também questionou Azevedo por não ter procurado um profissional do Fla para esclarecimentos, antes de prosseguir:

"Lembrando que não sou contra personal, fisioterapeuta, massagista ou tudo em um só, como está sendo feito atualmente. O que sou contra é a falta de comunicação (mentira dizer que tem integração com os profissionais do clube). Não há como trabalhar da forma que está sendo feita, sem que os profissionais que trabalham no clube saibam o que o atleta faz fora e vice-versa. Sem mimimi, por favor!", finalizou, via Instagram.
Criticado pela ausência de comunicação com o Flamengo, Rafael Winicki trabalha com os seguintes jogadores do clube: Everton Ribeiro, Diego, Rodrigo Caio, Filipe Luís, Gustavo Henrique, Thiago Maia, Piris da Motta, Vitinho, Berrío e Pedro Rocha.

Comentários