Presidente do Flamengo: 'É um valor acessível. Não é fácil manter Gabigol, BH e Everton Ribeiro'

Mandatário falou sobre a polêmica em relação à cobrança pela transmissão da partida contra o Volta Redonda

Por Lance

O presidente Rodolfo Landim conseguiu vitória em queda de braço com a TV Globo
O presidente Rodolfo Landim conseguiu vitória em queda de braço com a TV Globo -
Rio - Além de emitir uma nota oficial na tarde deste sábado, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, deu a sua versão direta a respeito da polêmica e contestada decisão de cobrar R$ 10 para que torcedores, não sócios, assistam ao jogo contra o Volta Redonda, neste domingo, às 16h, pela semifinal da Taça Rio.
Em entrevista ao canal "FOX Sports", Landim admitiu que é "difícil" manter estrelas do elenco e considerou o valor cobrado "bem acessível".

"Acho bem acessível o valor de R$ 10 em troca de uma semifinal de Campeonato. A gente precisa arrecadar para manter o nosso time. Não é fácil contar com Gabigol, Arrascaeta, Bruno Henrique, Everton Ribeiro e outros sem receita. Em relação ao preço, se você fala R$ 90 por mês, ou quase isso para apenas um jogo no pay-per-view, estamos tendo um preço muito inferior. Sempre tem uma reação natural quando se cobra qualquer coisa. Infelizmente o clube precisa ter receita", disse o mandatário rubro-negro, completando:

"O Flamengo tem outro lado. O pagamento desses R$ 10, nas redes sociais estão falando do momento que estamos enfrentando, mas para o Flamengo também é difícil. O Flamengo precisa pagar os jogadores, compromissos e as receitas estão reduzidas. Não estamos com torcida no estádio, sem bilheteria e esse foi um aspecto importante. Isso sempre foi pago por alguém."

O Fla utilizará a plataforma MyCujoo para hospedar as imagens do confronto no Maracanã

Comentários