Presidente Rodolfo Landim e vice de futebol Marcos Braz - Alexandre Vidal/Flamengo
Presidente Rodolfo Landim e vice de futebol Marcos BrazAlexandre Vidal/Flamengo
Por O Dia
Rio - O surto de coronavírus em sua delegação que viajou ao Equador não fará o Flamengo mudar de posicionamento. Segundo o portal "UOL", mesmo após os 27 casos positivos que teve, o Rubro-Negro ainda tem a intenção de defender junto à CBF o retorno dos torcedores ao estádio.
Publicidade
Com a aprovação do Ministério da Saúde e a liberação de praias e bares, o Rubro-Negro não vê motivo para impedir que torcedores possam frequentar os estádios em 30% de sua capacidade. O clube acredita, inclusive, que se trata de uma questão pública, que não tem relação com a CBF.
No entanto, a entidade já deixou claro que só liberará a volta do público quando todos os estados tiverem condições de fazê-la. As prefeituras de São Paulo e Belo Horizonte já sinalizaram que não vão autorizar.