Lincoln
LincolnALEXANDRE VIDAL/Flamengo
Por Venê Casagrande
Rio - Com o futuro de Lincoln ainda indefinido, os empresários do jogador pediram ao Flamengo que o atacante se ausente dos treinamentos por quatro dias. O período afastado é para que o jovem atualize os seus documentos, visando uma transferência futura. Atualmente, apenas o Cincinatti, dos Estados Unidos, tem uma proposta pelo atleta.
Publicidade
Além da equipe norte-americana, o Vissel Kobe, do Japão, havia feito uma oferta por Lincoln. O jogador havia concordado com o valor salarial oferecido pelo clube japonês, porém, o Flamengo se reuniu novamente com o atleta, após receber uma nova oferta do Cincinatti. A decisão da diretoria gerou mal-estar entre os representantes dos japoneses.
Tudo começou no início de dezembro, quando Lincoln foi afastado do elenco profissional e passou a treinar com a categoria sub-20 do Flamengo. Com a situação cada vez mais insustentável dentro do clube, os empresários do jogador estavam atrás de um clube interessado no atacante.

Lincoln foi oferecido para diversas equipes, incluindo o Vissel Kobe, do Japão, que estava em negociação avançada para contratar Maxuel, do Cuiabá. No entanto, o clube japonês demonstrou interesse no atacante do Flamengo e perguntou se poderia mesmo confiar na informação que a negociação andaria.

No dia 30 de dezembro, o Vissel Kobe enviou a primeira proposta: empréstimo até dezembro, opção de compra de 5 milhões de dólares, por 80% dos direitos, a opção se tornaria obrigação se disputasse 65% das partidas. O Flamengo recusou a proposta, pois recebeu uma proposta com os mesmos moldes do Cincinatti, mas com o dinheiro caindo na conta em julho, o que é mais vantajoso na visão da diretoria.

No entanto, a vontade do jogador de jogar no Japão fez o Flamengo enviar uma contraproposta ao Vissel Kobe, uma de empréstimo e uma de compra. Na última sexta-feira, os japoneses responderam que queriam fazer a de empréstimo, que ficaria da seguinte forma: 500 mil de dólares à vista ( R$ 2,7 milhões), com opção de compra em 2,5 milhões de dólares (R$ 13,5 milhões) por 75% dos direitos e obrigação de compra se Lincoln disputasse 50% dos jogos.
Publicidade
Tudo parecia encaminhado para Lincoln defender o Vissel Kobe. Porém, o Flamengo não retornou o documento assinado. Na última segunda-feira, a diretoria rubro-negra chamou para mais uma reunião, dizendo que o Cincinnati aumentou a proposta anterior e pediram que o clube japonês igualasse a oferta. A decisão da diretoria gerou mal-estar entre os representantes dos japoneses.