Kayky no treino do Fluminense
Kayky no treino do FluminenseMailson Santana/Fluminense
Por O Dia
Enquanto não acerta com reforços para o ataque para a disputa da Libertadores, o Fluminense mais uma vez encontra nas divisões de base as opções para melhorar o setor. Desta vez, Kayky e Gabriel Teixeira, destaques em 2020 do sub-17 e do sub-20 respectivamente, são os Moleques de Xerém a se destacar neste início de temporada.
Inicialmente esperados para compor o elenco e serem aproveitados aos poucos, os dois jovens furaram a fila na disputa por vagas no ataque e, mesmo sem serem titulares, têm entrado com mais frequência do que Caio Paulista, Fernando Pacheco, John Kennedy, Samuel Granada, Lucca e Michel Araújo.
Publicidade
Aos 19 anos, Gabriel Teixeira é o único a ter disputado todas as oito partidas do Fluminense na temporada, ganhando espaço na equipe sub-23 (titular duas vezes), nos reservas (começou outras duas vezes) e agora com o grupo principal, entrando nos três jogos.
E Kayky, de 17 anos, disputou sete partidas, com um gol, uma assistência e duas participações em jogadas de gol. Já negociado para o Manchester City por 10 milhões de euros (cerca de R$ 66,3 milhões) - mais bonificações - , o principal nome da chamada "Geração dos Sonhos" soube aproveitar bem a primeira chance como titular nos profissionais, com boa atuação e mudando as características do ataque. 
Publicidade
Os dois vem conquistando o técnico Roger Machado, que conta com os próximos jogos do Campeonato Carioca para avaliar ainda mais esses jovens, já pensando na Libertadores.
"Kayky é um jogador que pode crescer com a bola e achar soluções. Acho que ele aproveitou bem a oportunidade. Era um desejo desde o início. Precisava ver os meninos jogando para que pudessem nos ajudar no decorrer do ano. Que bom ver os meninos podendo jogar e contribuindo para uma vitória importante", elogiou Roger, que pretende continuar dando chances aos jovens ao longo das partidas.
Publicidade
"São duas vias: amadurecer o time para a Libertadores sem deixar de valorizar o Estadual. É uma oportunidade que temos de ver atletas mais jovens em campo em jogos mais pesados. Quando houver oportunidade e o jogo permitir, não tenha dúvida que eu vou querer utilizá-los".