São Januário agora é considerado um patrimônio cultural, social e desportivo do Rio
São Januário agora é considerado um patrimônio cultural, social e desportivo do RioRafael Ribeiro/Vasco
Por O Dia
Rio - A grave crise financeira do Vasco, agravada com a queda para a Série B, fez com que o clube fosse obrigado a tomar medidas drásticas. Nesta sexta-feira, o Cruzmaltino anunciou o desligamento de 186 funcionários, o que, de acordo com a direção, representa uma redução de 35% na folha de pagamento. 
Publicidade
Com os cortes, o Vasco deve economizar aproximadamente R$ 40 milhões por ano em salários. Os funcionários demitidos irão receber os salários referentes a janeiro e fevereiro, que estavam atrasados. O clube também disponibilizará uma empresa especializada para tentar realocar os profissionais no mercado de trabalho.
Em nota, o Vasco justificou as demissões alertando para os R$ 720 milhões de dívida e anunciou outras mudanças, como o fato de São Januário deixar de ser sede administrativa.
Publicidade
Confira a nota do Vasco na íntegra:
"O Club de Regatas Vasco da Gama enfrenta o maior desafio financeiro de sua história. Nosso endividamento líquido, atualmente girando em torno de R$720MM, encontra-se em níveis muito elevados e concentrados em curto prazo, a inadimplência generalizada com fornecedores torna o Vasco refém de penhoras judiciais, os atrasos de salários de atletas e funcionários se tornaram rotineiros, a antecipação de recursos, com comprometimento de receitas futuras, foi usada indiscriminadamente nos últimos anos e hoje é uma possibilidade praticamente exaurida.

Soma-se a esse quadro a perda de receitas de TV, e a diminuição dos valores de premiação da Confederação Brasileira de Futebol proveniente do ranking nacional de clubes, e chegamos a uma perda de cerca de R$100MM em receita em 2021.

Para garantir a sustentabilidade de suas operações, nosso Gigante da Colina precisa de uma reestruturação administrativa efetiva e imediata. E este processo de reestruturação, urgente e necessário, tem um marco importante nesta sexta-feira (12/03). Com foco na redução da folha de pagamentos e na maior eficiência e produtividade em todas as áreas do Vasco da Gama, o Clube está implantando mudanças profundas em sua estrutura que incluem a extinção e/ou fusão de funções, diminuição de níveis hierárquicos e a integração física e operacional de equipes. Para alcançar esses objetivos, o Clube conta com consultorias em finanças e gestão de alto padrão.

Por representarem a razão de ser do Clube e as forças capazes de alavancar as novas receitas necessárias para a recuperação do Vasco da Gama, os departamentos de futebol profissional, futebol feminino e futebol de base foram priorizados no processo de reestruturação em curso.

Nesse sentido, a Diretoria Administrativa, presidida por Jorge Salgado, anuncia uma série de ações a serem implementadas a partir desta data:

Redução da Folha de Pagamentos em mais de R$40MM/ano

Nesta sexta-feira (12/03), comunicamos o desligamento de 186 funcionários do Vasco da Gama, representando uma redução de 35% na folha de pagamento do Clube. O Vasco da Gama realizará hoje o pagamento dos salários referentes aos meses de janeiro e fevereiro/21 a todos os funcionários que estão sendo desligados. O CRVG contratou empresa especializada de recolocação de pessoal para auxiliar esses profissionais no processo de transição de suas carreiras."