KondZilla lamenta mortes em baile e faz denúncia: 'Olhar de Preconceito'

'Precisamos unir todas as frentes para iniciarmos um novo momento da história do funk, da juventude e das favelas de São Paulo. Meus sinceros sentimentos', disse Konrad Cunha Dantas

Por IG - Gente

Konrad Dantas, do canal Kondzillas
Konrad Dantas, do canal Kondzillas -
São Paulo - No último domingo (01), Konrad Cunha Dantas, produtor musical mais conhecido por KondZilla, utilizou sua conta no Instagram para lamentar a ação policial em um baile funk da favela de Paraisópolis, localizada na Zona Sul de São Paulo. A ação dos policiais terminou com nove pessoas mortes por pisoteamento e sete feridas.

KondZillaReprodução Instagram

"A KondZilla trabalha há nove anos, em uma luta que existe há mais de 30 anos, para mudar o olhar de preconceito sobre a nossa expressão cultural do movimento de música eletrônica de favela, o Baile Funk. Exatamente o mesmo número de vidas que se foram em um fluxo de rua hoje na comunidade de Paraisópolis", lamentou ele Instagram.

O produtor musical, que já trabalhou com artistas como Kevinho, Livinho e MC Jottapê, também afirmou que espera que o estado ampare as família que perderam seus entes. 

"Precisamos unir todas as frentes para iniciarmos um novo momento da história do funk, da juventude e das favelas de São Paulo. Meus sinceros sentimentos".

O imbróglio aconteceu na madrugada do último domingo (01), em um evento coma mais de 5 mil pessoas, conhecido como baile da 17. Além de KondZilla, outros famosos como políticos e jornalistas prestaram sentimentos e orações.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários