Dona Creuza Braga, de 88 anos, é moradora do Morro da Caixa D'água, em Italva, no Noroeste Fluminense.
Dona Creuza Braga, de 88 anos, é moradora do Morro da Caixa D'água, em Italva, no Noroeste Fluminense.Foto: divulgação/PMI
Por Lili Bustilho
ITALVA - Mulher-Maravilha: a missão diária e o poder feminino da personagem que vai além das histórias em quadrinhos. É por ser exemplo de amor, força, garra e determinação que guerreiras como Creuza Braga, de 88 anos, moradora do Morro da Caixa D'água, em Italva, no Noroeste Fluminense, merecem ser homenageadas todos os dias. Ela teve duas filhas biológicas, sendo que em 2020, a Covid-19 levou ambas em menos de uma semana, mas dona Creuza foi capaz de seguir firme e venceu o vírus. Por ser tão querida é considerada como mãe por muitas outras pessoas. Com a chegada do mês que traz a data comemorativa do Dia Internacional da Mulher - 8 de março -, a prefeitura decidiu divulgar, por cerca de sete dias, histórias de algumas italvenses que são referência de vida dedicada à família e ao trabalho. A simbologia da princesa da Ilha Paraíso, a mulher forte entre os homens, a lutadora contra as forças opressoras do patriarcado que se tornou filme ultrapassa a ficção e torna cada mulher merecedora de reconhecimento e valorização da sociedade. Continua após o vídeo.
O DIA conversou com Léo Lima que é o chefe da equipe de Comunicação do município sobre a iniciativa. "Em várias reuniões com o prefeito Léo Pelanca e a responsável pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Ângela Souza, ficou resolvido que ao invés de um único evento homenageando as mulheres, faríamos vídeos diários até o dia 12 para dar valor as nossas italvenses. São histórias de vida de superação e dificuldades que esbarram na realidade que as mulheres até hoje passam", contou Léo que tem em sua equipe Vitor Siqueira e Vilgner Dias. O trio é o responsável pela produção cedida ao DIA. 
Publicidade