Socorro prestado por policiais do 29º BPM (Itaperuna-RJ) no bairro Querosene, em Laje do Muriaé, no Noroeste Fluminense.
Socorro prestado por policiais do 29º BPM (Itaperuna-RJ) no bairro Querosene, em Laje do Muriaé, no Noroeste Fluminense.Foto: divulgação
Por Lili Bustilho
LAJE DE MURIAÉ - Uma ligação inusitada e desesperada ao telefone 190 da Sala de Operações do 29º BPM (Itaperuna-RJ) pedia socorro na manhã desta sexta-feira (12/03) para um recém-nascido, no bairro Querosene, em Laje do Muriaé, no Noroeste Fluminense. Os policiais militares foram acionados para comparecerem à Rua Compositor Henrique Pinheiro e enquanto o Sargento PM C. Magno atendia a ligação pelo serviço de emergência e orientava a mãe do pequeno Rafael, de 2 meses de vida, sobre procedimentos de primeiros socorros, a guarnição composta pelo Sargento PM R. Garcia e Cabo PM P. Pires, chegou ao local e deparou-se com Dorilene da Silva Antão, 38 anos, saindo de sua residência com o filho apresentando os sinais de engasgamento. 
O DIA fez contato com exclusividade com a mãe do bebê que explicou o ocorrido e demonstrou gratidão aos policiais. "Apesar de ser técnica de enfermagem foi um momento inexplicável que o desespero tomou conta de mim. Fiz a manobra de salvamento, mas não conseguia raciocinar. Tenho outro filho de 6 anos e nunca passei por uma situação parecida", contou mais aliviada. Ela disse que "O Rafael mamou às 8h e por volta das 10h dei banho nele. No momento de levantar a perna para colocar a roupa percebi que ele já estava perdendo os sinais vitais e ficando muito mole. Tentei ligar para o hospital, mas não consegui, fui me preparando para sair de casa e buscar socorro e liguei logo para a PM", falou.
Publicidade
Dorilene ainda emocionada acrescentou ao DIA que "Não consegui nem arrumar meu bebê para levar para o hospital depois disso tudo ele foi até sem roupa mesmo. Foi feito um exame de raio x que graças a Deus não deu nada. Do hospital fomos para a UPA de Itaperuna por ter mais estrutura e para checar mais detalhes. Foi um grande susto e agora ele já está dormindo tranquilamente. Graças a Deus os policiais me socorreram e salvaram a vida de meu filho", comentou emocionada. 

Chegada do socorro policial - De imediato o experiente pai, Sargento PM R. Garcia, realizou a manobra de Heimlich enquanto a equipe já se deslocava para o Hospital Municipal juntamente com a mãe. Ainda durante o deslocamento, o bebê já apresentou sinais de recuperação dentro da viatura policial.

No hospital, Rafael recebeu atendimento especializado e apresentou quadro de saúde estável. De acordo com os médicos do Hospital, a rapidez e eficiência dos policiais militares foram os fatores primordiais para salvar a vida do pequeno recém-nascido.