Ismélia será sepultada no mausoléu do Roberto Silveira no Cemitério Maruí, no Barreto, na Zona Norte de Niterói
Ismélia será sepultada no mausoléu do Roberto Silveira no Cemitério Maruí, no Barreto, na Zona Norte de NiteróiImagem Internet
Por O Dia
Niterói - Morreu na manhã desse domingo Ismélia Saad Silveira aos 92 anos, viúva do ex-governador Roberto Silveira. A causa da morte não foi divulgada mas foi confirmada por amigos da família. Será sepultada no mausoléu do Roberto Silveira no Cemitério Maruí, no Barreto, na Zona Norte de Niterói.

Natural de Bom Jesus do Itabapoana, dona Ismélia, hoje com 89 anos, aos 21 anos casou com o conterrâneo e vizinho Roberto Silveira, então com 28 anos, em 1951. Tiveram três filhos, Jorge Roberto, Dora e Márcia.

A primeira dama Ismélia acompanhou a curta e brilhante trajetória política do marido, que foi deputado estadual por duas vezes, vice-governador e, em seguida governador por dois anos do Estado do Rio de Janeiro, até tragicamente morrer em um desastre de helicóptero, em 20 de fevereiro de 1961.

Depois, o cunhado Badger Silveira também foi governador do Estado; o filho Jorge Roberto elegeu-se deputado estadual, por duas vezes, e prefeito de Niterói para quatro mandatos. Mas dona Ismélia se manteve, do mesmo modo, distante dos gabinetes políticos.

Continuava levando vida normal, no mesmo lugar de sempre, em São Francisco, bairro onde passou a morar quando chegou do interior fluminense à ex-capital, e onde criou seus três filhos, cumprindo com dignidade a viuvez que o destino e a vida lhe reservaram, sendo merecedora do respeito de todos que conhecem sua história.

No sábado, 13 de março, Ismélia tinha completado 92 anos, morava em São Francisco e era chamada carinhosamente como a ‘eterna primeira dama’.