Mais Lidas

Animais do Zoo do Rio recebem presentes antecipados de Natal

Macacos recebem até panetones de presente. Tigres e onças ganham frangão natalino

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Quem foi que disse que o Papai Noel só olha pela criançada? Nesta terça-feira, na antevéspera do Natal, o Bom Velhinho passou pelo Zoológico do rio e não economizou na distribuição de presentes aos moradores do local. Animais das mais diversas espécies ganharam cestas com alimentos cuidadosamente escolhidos por nutricionistas. No cardápio não faltou variedade: de panetones adaptados a ‘perus’ de Natal. Os visitantes puderam assistir ao momento especial que fez parte do Programa de Enriquecimento Ambiental dos animais.

O chimpanzé Paulinho segura seu panetone com frutas cristalizadasEfe

Estrela do Zoo, o chimpanzé Paulinho foi um dos mamíferos que se fartaram com avelãs, castanhas, nozes, pêssegos, ameixas, uvas, abacaxi, manga, melancia e melão. O clima natalino ficou por conta do panetone de frutas secas. A meninada foi ao delírio com as estripulias de Paulinho e seu companheiro de jaula, Pipo.

Pela delicadeza com que saboreavam as frutas — dissonantes das suas toneladas de peso —, as elefantas Carla e Koala também reuniram uma multidão. Já as feras receberam os quilos de carne aos que têm direito. Felinos como tigres e onças foram presenteados com ‘frangões’ natalinos sem tempero, numa alusão ao peru de Natal.

A intenção do Programa de Enriquecimento Ambiental é entreter os animais dentro de seus habitats e, é claro, fazer a alegria do público. Anualmente, durante o verão, os animais passam a receber uma alimentação especial dedicada a amenizar o calor da estação.

No menu de verão, há desde picolés de frutas — sem açúcar — dados aos primatas até pedaços de carne congelados servidos aos felinos. Borrifadores de água amenizam as altas temperaturas — além dos vários banhos diários.

Veja galeria de fotos do Natal da bicharada

Durante as férias escolares, o Zoo abre de segunda a domingo, das 9h às 16h30. O ingresso custa R$ 6. Estudantes têm entrada gratuita mediante apresentação de carteira escolar. Idosos a partir de 60 anos, crianças de até 1 metro de altura e pessoas com deficiência não pagam.

Cesta alcoólica na Lapa

?“Contra a ressaca, continue bebendo”. O lema, que motiva todo bom bebedor nesta época do ano, ganha novo significado a cada edição da ‘Ceia Alcoólica’, promovida pela sociedade carnavalesca Embaixadores da Folia, tradicionalmente no bar Vaca Atolada, na Avenida Gomes Freire, na Lapa.

Em vez de um pinheiro cenográfico e bolas de plástico vermelhas, como manda o figurino, a decoração do evento já escancara suas intenções: em volta de um pé de boldo, de proporções consideráveis, ficam pendurados sais de frutas e protetores hepáticos, à disposição de quem precisar.

Cláudio e o pé de boldo cheio de remédios para o fígadoAndré Luiz Mello / Agência O Dia

Para matar a sede, a bebida exclusiva, o ‘caipiboldo’ é servido gratuitamente, feito pelas mãos da Dona Arlete Rodrigues Nunes, de 73 anos. “O pessoal gosta muito, e não é amarga, não!”, assegura.

Isso tudo, garante o idealizador, Claudio Cruz, é para, na verdade, zelar pela saúde do fígado do carioca nas vésperas do Natal e da temporada de maior farra alcoólica do ano.

“Na agenda dos cachaceiros, a gente começa a beber agora e só para no Carnaval. Ano Novo tá aí também e a gente precisa ‘preparar o organismo’, não é isso?”, provocou ele. Claudio Cruz estima que passem por lá cerca de 400 pessoas todos os anos.
Saúde, então!

Reportagem de Luíza Gomes

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia