Irlandês membro do COI é preso por envolvimento em venda ilegal de ingressos

Patrick Hickey foi preso na manhã desta quarta-feira por facilitação ao cambismo, marketing de emboscada e formação de quadrilha

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - Agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF), com o apoio do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE) e do Núcleo de Apoio a Grandes Eventos (NAGE), prenderam um membro do Comitê Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI), na manhã desta quarta-feira, em um hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. De acordo com a polícia, foi descoberta a participação do irlandês Patrick Hickey em um esquema internacional de cambismo.

Hickey, que também é presidente do Comitê Olímpico da Irlanda, responderá por facilitação ao cambismo, marketing de emboscada e formação de quadrilha. A operação, coordenada pelos delegados Ronaldo Oliveira e Ricardo Barbosa, cumpriu um mandado de prisão e de busca e apreensão no apartamento onde estava o irlandês, com base na investigação da DDEF. O dirigente passou mal quando a polícia chegou no local para prendê-lo. Com base nas provas contra Patrick a especializada pediu a sua prisão, que foi decretada pela Justiça.

Policiais civis chegam a hotel para cumprir mandado de prisão contra irlandês envolvido na máfia dos ingressos nas OlimpíadasReprodução Vídeo / Divulgação

LEIA MAIS

Identificados mais quatro integrantes de quadrilha de cambismo nos Jogos

Integrantes de quadrilha de cambismo são presos no Rio

Em 5 de agosto, foram presos em flagrante Kevin Mallon, diretor da empresa THG, e Bárbara Carnieri. Durante esta ação, foram apreendidos mais de mil ingressos que eram comercializados por valores muito elevados. Para a cerimônia de abertura, por exemplo, havia ingressos vendidos a US$ 8 mil (R$ 25 mil) cada um.

Patrick Hickey foi preso na manhã desta quarta-feira em um hotel na Barra e por envolvimento com quadrilha de cambismoAFP

Também foram decretadas as prisões de David Patrick Gilmore, Marcus Paul Bruce Evans, Maarten Van Os e Martin Studd, outros quatro diretores da empresa THG. A Polícia Civil comunicou à Polícia Federal e à Interpol sobre estes mandados de prisão.

Em 2014, a empresa THG teve seu CEO James Sinton preso pela Polícia Civil, envolvido na “máfia dos ingressos” da Copa do Mundo de 2014.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia