Família diz que agressividade de Marcos é consequência do estresse

Em nota, divulgada uma nesta segunda-feira, parentes afirmam 'o que vem acontecendo dentro da casa entre os dois, é responsabilidade de ambos'

Por O Dia

Rio - A família de Marcos Harter divulgou uma nota na tarde desta segunda-feira, afirmando que a agressividade do participante do Big Brother Brasil  é consequência do estresse causado pelo confinamento. No último fim de semana, os fãs do programa pediram a expulsão do brother, após serem divulgadas imagens onde o cirurgião é visto encurralando a sister contra a parede e gritando próximo ao seu rosto. 

Marcos e Emily discutem e internautas pedem expulsão do brotherReprodução TV

"Dr. Marcos, como é conhecido, sempre foi um ser humano dócil, amável e querido por todos, tanto por seus familiares como amigos e pessoas que lida diariamente. Esse relacionamento com a Emilly, não é o tipo de relação amorosa que ele costuma ter, e acreditamos que o que vem acontecendo dentro da casa entre os dois, é responsabilidade de ambos e não apenas do Marcos", completa a declaração assinada por Caroline Harter, Enilda Harter, João Carlos Harter, Juliano Morandini Oliveira e Caroline Barros.

Pai de Emily pede proteção contra Marcos

Em sua conta no Twitter, Mayla, irmã gêmea de Emily, que foi eliminada no início da competição, revelou que seu pai havia entrado em contato com a produção do programa para garantir a segurança da filha durante a última semana de BBB 17.

"Quero deixar claro para todos: meu pai está em contato com a produção. Chegou no limite. Estamos devastados com tudo que vimos", escreveu Mayla.

Segundo Mayla%2C irmã gêmea de Emily que foi eliminad ano início do programa%2C o pai da sister está em contem contato com a produçãoReprodução Instragram

Caso chama atenção da Delegacia da Mulher

O episódio chamou a atenção da delegada titular da Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher, Márcia Noeli. “Quando soube do caso, procurei assistir aos vídeos. Pelas imagens, há, sim, ameaça. Não de morte, mas, no mínimo, uma tentativa de constranger. Recomendo que ela faça o registro na delegacia assim que deixar o reality show”, diz Márcia, que chefia as Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam). 

De acordo com a delegada, como, a princípio, não houve lesão corporal, a polícia não poderia intimar Marcos sem que Emilly registrasse o caso. “Estaria no campo da ação penal pública condicionada à representação da vítima. Ao menos aparentemente, não houve lesão corporal, mas não é algo que eu possa afirmar. A participante precisaria passar pelo exame de corpo de delito”, explica. Em uma das cenas, Emilly pede que Marcos solte seu braço: “Está doendo”.

A discussão do casal virou o assunto mais comentado, ontem, na internet. No Twitter, a hashtag #ExpulsaMarcos, que pede a expulsão do participante do programa, foi a mais usada. 

O Jornal Nacional desta segunda-feira informou que Emily foi interrogada com perguntas baseadas na Lei Maria da Penha e que a sister negou qualquer agressão sofrida por Marcos. O noticiário também ressaltou que o brother foi repreendido pela produção do BBB 17. 

Reportagem da estagiária Luana Benedito

Últimas de Rio De Janeiro