Universitários terão aplicativo para acessar cursos e estágios da Prefeitura do Rio - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Universitários terão aplicativo para acessar cursos e estágios da Prefeitura do RioDaniel Castelo Branco / Agência O Dia
Por O Dia

Rio - Funcionários do Laboratório de Histocompatibilidade e Criopreservação (HLA) da Uerj promovem uma campanha para cadastrar doadores voluntários de medula óssea dentro da universidade. O objetivo é conseguir atingir, no mínimo, duas mil pessoas durante os dois meses de evento.

A ação, que começou no dia 6 de março, ficará até o dia 27 de abril no hall dos elevadores da Uerj, das 9h às 15h. A meta diária que se espera é de, aproximadamente, 52 doadores voluntários cadastrados. No entanto, o número que se tem atingido ainda está abaixo do esperado.

No Brasil, existem, aproximadamente, 850 pacientes a espera do transplante de medula. Esse número não aumenta, pois muitos não resistem e morrem antes de encontrar um doador compatível. As chances de um voluntário cadastrado ser chamado é de um em cem mil.

Sobre o transplante

O paciente, portador de doenças como leucemia ou linfoma, necessita de uma medula nova e saudável em troca daquela deficitária. Contudo, as chances de encontrar um doador compatível dentro da família, que seja irmão ou um dos pais, são de 25%. Então, aquele paciente, que não encontra um familiar compatível, se cadastra no Registro Nacional de Receptores de Medula Óssea (REREME) e terá suas informações cruzadas com a dos doadores cadastrados no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).

A doação pode ser feita através da aférese, que é a punção da veia semelhante ao processo de doação, ou também, pela punção no osso da bacia, método mais conhecido. No último caso, trata-se de um processo cirúrgico com anestesia que requer internação de 24h. Porém, a decisão sobre qual o tipo de doação é de exclusividade médica.

Sobre o cadastro

Para se cadastrar, basta ter 18 e 55 anos de idade, estar em bom estado de saúde, não portar nenhuma doença infecciosa, neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou imunológica. O voluntário preencherá uma ficha com os dados pessoais e será coletada uma pequena amostra de sangue para fazer o HLA, que é o teste de compatibilidade. É importante que o doador esteja com os dados atualizados, pois todas as informações fornecidas ficarão no sistema até que ele complete 60 anos de idade.

Site do HLA: http://www.hla.uerj.br/site/

Supervisora da campanha de doação de medula óssea: Monica da Cruz Falci

Telefone: (21)2334-2421

e-mail: [email protected]

Site do REDOME: http://redome.inca.gov.br/doador-atualize-seu-cadastro/

Você pode gostar