Bandidos instalaram barricadas por Belford Roxo. Ontem, o DIA flagrou uma delas em uma rua de Jardim Dimas Filho, a 8 km de Parque Floresta - Daniel Castelo Branco
Bandidos instalaram barricadas por Belford Roxo. Ontem, o DIA flagrou uma delas em uma rua de Jardim Dimas Filho, a 8 km de Parque FlorestaDaniel Castelo Branco
Por O Dia

Rio - A disputa pelo tráfico vem deixando rastros de horror em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. Apenas nesta semana, mais de sete mil alunos da rede municipal de educação ficaram sem estudar e pelo menos oito instituições de ensino ainda não têm previsão de quando voltarão às atividades. O motivo de tanta tensão são os conflitos entre duas facções rivais, Comando Vermelho (CV) e Terceiro Comando (TC), que se arrastam desde segunda-feira, e deixaram pelo menos dois mortos, apontados como traficantes pela Polícia Civil.

De acordo com o delegado Luiz Henrique Guimarães, da 54ª DP (Belford Roxo), o traficante Pablo Santos da Silva, conhecido como PL, foi morto e esquartejado ao tentar invadir a comunidade Morro do Machado. PL era apontado como um dos chefes do tráfico nas favelas Caixa D'água e Parque Floresta, vizinhas ao morro invadido.

"Na segunda-feira, já havíamos prendido o traficante Bruno Rodrigues, o Skol, que pertencia ao grupo do PL. Além do próprio PL, outro criminoso conhecido como Zidane também morreu durante o conflito. Vale ressaltar que as únicas vítimas desse tiroteio foram criminosos", relatou o delegado.

O traficante conhecido como Skol é o segundo na linha hierárquica do tráfico de drogas dos Morros da Caixa D'água e Parque Floresta e seria o responsável por assumir o controle do Comando Vermelho na região após a morte do traficante PL. Ainda de acordo com o delegado Luiz Henrique Guimarães, Skol participava ativamente dos roubos na região.

Com as frequentes batalhas entre facções criminosas, moradores de Belford Roxo desabafam sobre a insegurança nas redes sociais. "Moro aqui no Machado e na noite de ontem (na segunda-feira) foi horrível, muito tiros!", desabafou uma internauta. "Meu Deus, quando vai acabar tudo isso?", questionou outro.

Para o delegado Luiz Henrique Guimarães, o combate ao tráfico é uma das ferramentas fundamentais para combater a violência no estado. "O tráfico é o segmento que mais mata. Se 160 pessoas morrem por dia, pode ter certeza que pelo menos metade desse número está relacionado ao comércio ilegal de drogas", comentou.

Violência constante

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro, 857 roubos em geral foram registrados apenas no mês passado, em Belford Roxo, um aumento de 235% em relação a março de 2017. Há duas semanas, o prefeito Waguinho, e o deputado estadual Márcio Canella (PSL), estiveram no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) com o Secretário de Segurança, general Richard Nunes. A pauta principal foi a solicitação de medidas urgentes para ajudar a conter a violência na região.

Reportagem de Gustavo Ribeiro, com o estagiário Gabriel Thomaz

Você pode gostar
Comentários