Após confrontos e mortes no Leme, Pavão-Pavãozinho é alvo de operação do Choque

Comunidade de Copacabana registrou tiroteio na manhã desta quarta-feira. Nos morros Chapéu Mangueira e Babilônia, não houve relato de tiros nesta quarta-feira e apenas a UPP fez policiamento

Por O Dia

Flagrante do DIA mostra criminoso armado fugindo pelas lajes no Morro da Babilônia nesta terça-feira -

Rio - Após a guerra entre traficantes seguida de operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) nos morros Chapéu Mangueira e Babilônica, que deixou dois mortos, apenas policiais da Unidade da Polícia Pacificadora (UPP) fizeram policiamento ostensivo na manhã desta quarta-feira na região. Não houve registro de tiroteios nesta quarta-feira no Leme, diferente das comunidades Pavão-Pavãozinho e Cantagalo, em Copacabana, onde aconteceu uma operação do Batalhão de Choque (BPChq) com apoio da UPP local.

A ação no Pavão-Pavãozinho e Cantagalo foi um desdobramento da operação do Bope, terça-feira, nos morros do Leme. Não houve balanço da atuação da polícia em Copacabana. Ao DIA, investigador disse que traficantes de comunidades da Zona Sul teriam participado nesta terça-feira da tentativa de invasão ao Babilônia e Chapéu Mangueira

Durante a troca de tiros entre os criminosos seguida de operação do Bope, O DIA flagrou um homem com fuzil fugindo pelas lajes de casas. Há meses as comunidades do Leme são alvos de disputa entre traficantes de facções rivais.

Últimas de Rio de Janeiro