Corpo de décima primeira vítima de naufrágio em Sepetiba é encontrado

Buscas continuam pelo último desaparecido

Por O Dia

Duas embarcações naufragaram perto do Porto de Itaguaí, na Baía de Sepetiba
Duas embarcações naufragaram perto do Porto de Itaguaí, na Baía de Sepetiba -

Rio - O Corpo de Bombeiros informou que o décimo primeiro corpo de vítima do naufrágio de duas embarcações na Baía de Sepetiba, Região Metropolitana do Rio, foi encontrado na manhã desta segunda-feira. Hoje, militares da corporação e da Marinha do Brasil retomaram às 6h as buscas por dois pescadores que ainda estão desaparecidos.

O corpo foi localizado nas proximidades da Ilha do Martins, na área da Baía de Sepetiba, cerca de 7 km de distância da Embarcação “Lucas Mar”, por funcionários de uma empresa de navegação local. Esse foi o segundo corpo encontrado no dia de hoje.

Nesta manhã, o corpo de outra vítima, ainda não identificada, foi encontrado a cerca de 15  km de distância  da embarcação "Lucas Mar", na Praia de Muriqui, em Mangaratiba,no início da manhã de hoje. As buscas pelo último desaparecido continuam sendo realizadas pelas equipes da Marinha do Brasil, do Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro e de pescadores locais voluntários.

Para auxiliar nas buscas, a Marinha utilizará um drone em alternância com as aeronaves. Os corpos encontrados estão sendo levados para a Base de Operações, montada na Ilha da Madeira, na Baía de Sepetiba. 

O acidente

Duas embarcações naufragaram na Baía de Sepetiba, perto do Porto de Itaguaí, na madrugada desta sexta-feira. De acordo com o porta-voz dos Bombeiros, coronel Glauco Lorite, a corporação recebeu o chamado para a ocorrência por volta da 1h. Ele disse acreditar que o mau tempo provocou o acidente.

As causas da ocorrência e as responsabilidades dos envolvidos serão apuradas em inquérito já instaurado pela Marinha do Brasil. Pescadores que sobreviveram comentam que o forte vento provocou o afundamento das embarcações.

As buscas pelo último desaparecido continuam sendo realizadas pelas equipes da Marinha do Brasil, do Corpo de Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro e de pescadores locais voluntários.

Últimas de Rio de Janeiro