Chinês é preso com eletrônicos falsificados avaliados em R$ 1 milhão

Homem foi detido por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) nesta terça-feira

Por O Dia

Chinês é preso com eletrônicos falsificados avaliados em R$ 1 milhão
Chinês é preso com eletrônicos falsificados avaliados em R$ 1 milhão -

Rio - Um cidadão chinês identificado como Yipeng Ruan foi preso com uma tonelada de material eletrônico falsificado. O homem foi detido por policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM) nesta terça-feira, na Rua do Ouvidor, na altura do n° 185, no Centro do Rio. 

Segundo a polícia, o material, composto por aparelhos e caixas de som sem fio, está avaliado em cerca de R$ 1 milhão. Ainda de acordo com a polícia, o preso será encaminhado à Polícia Federal, para retornar posteriormente à China. O estabelecimento poderá ter o alvará cassado. 

Mais apreensões 

Também nesta terça-feira, policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) apreenderam produtos eletrônicos contrabandeados. O material estava escondido embaixo de sofás dentro de um caminhão que foi abordado pelos agentes na Avenida Brasil, próximo a entrada do Mercado São Sebastião, na Penha, Zona Norte do Rio.

De acordo com a PM, o veículo tinha placa do Rio Grande do Sul e seguia em direção a Zona Oeste. Todo o produto foi apreendido e levado para Receita Federal para contabilizar o valor dos produtos. Até o momento, o valor da apreensão já passava de R$ 500.000 mil. A ocorrência foi encaminhada para Policia Federal.

 

 

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Chinês é preso com eletrônicos falsificados avaliados em R$ 1 milhão Divulgação
Caminhão transportava produtos eletrônicos contrabandeados Divulgação