MPRJ e Polícia Civil realizam operação contra o tráfico de drogas no Sul Fluminense

Grupo atuava em pelo menos dez bairros de Barra Mansa, quatro de Volta Redonda, além de localidades em Pinheiral e Valença. Ação visa cumprir 72 mandados de prisão preventiva e 122 mandados de busca e apreensão

Por O Dia

Rio - O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil realizam, na manhã desta quinta-feira, uma operação batizada de Operação Horse, que visa combater o tráfico de drogas organizado no Sul Fluminense. Os agentes visam cumprir 72 mandados de prisão preventiva e 122 mandados de busca e apreensão.

A operação é um desmembramento da Operação Adren, que resultou na condenação de diversos criminosos nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Além dos pedidos de prisão preventiva e busca e apreensão, o MPRJ pediu ainda o sequestro de bens e valores dos principais denunciados.

Segundo o MPRJ e Polícia Civil, a complexa estrutura do grupo e o elevado número de denunciados fez com que a investigação fosse dividida em três núcleos de denunciados: o primeiro relativo à origem da droga; o segundo tem por base os traficantes receptores de drogas; e a terceira investigação tratou do tráfico em algumas localidades específicas.

Eles atuavam em, pelo menos, dez bairros de Barra Mansa, quatro em Volta Redonda, além de localidades em Pinheiral e Valença.

Jean de Souza Mendes, vulgo Paulista, era o principal fornecedor de drogas para os traficantes das cidades do Sul Fluminense. Segundo a investigação, ele adquiria os entorpecentes em São Paulo, através da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e levava para o Rio.

Fabiano da Silva Melo, vulgo Mineiro, era o fornecedor de drogas para os traficantes de Barra Mansa. Ele trazia as drogas de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Rivaldo da Silva Barros era o responsável por receber e intermediar as transações das drogas enviadas por Fabiano. Outra denunciada importante é Maria Madalena de Carvalho Marques, que operava o tráfico sob a coordenação de seu irmão, Claudinei de Carvalho, que já está preso.

Kelvinton Idalino Bernardes Paulo, vulgo Kekel, Regis Nunes Marques, vulgo Arroz, Moises Rocha, vulgo Boi, Luís Silva, vulgo Gianecchini, e Adriano Sebastião Dos Santos Prudêncio, vulgo Japa, entre outros, foram denunciados por serem os responsáveis pelo tráfico em bairros de Volta Redonda e Barra Mansa.

Segundo o MPRJ, durante os 13 meses da investigação, através de interceptações telefônicas, 22 pessoas foram presas, sendo 15 em flagrante, além de apreensão de grandes quantidades de droga.

Últimas de Rio de Janeiro