Crivella sanciona lei de Marielle Franco que institui Dia da Mulher Negra

Dia de Tereza de Benguela e da Mulher Negra passa a ser comemorado anualmente em 25 de julho

Por O Dia

A vereadora Marielle Franco foi morta há nove meses
A vereadora Marielle Franco foi morta há nove meses -

Rio - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, sancionou nesta terça-feira a lei, de autoria da vereadora Marielle Franco, que inclui o Dia da Tereza de Benguela e da Mulher Negra no calendário oficial da cidade. A data passa a ser comemorada anualmente, em 25 de julho. 

Tereza de Benguela, ou “Rainha Tereza”, como ficou conhecida em seu tempo, viveu no século XVIII no Vale do Guaporé, no Mato Grosso. Ela liderou o Quilombo de Quariterê após soldados matarem seu companheiro, José Piolho. De acordo com documentos da época, o lugar abrigava mais de 100 pessoas, com aproximadamente 79 negros e 30 índios. O quilombo resistiu da década de 1730 ao final do século. Tereza foi morta após ser capturada por soldados em 1770.

De acordo com a justificativa do projeto da lei, Marielle Franco acreditava que celebrar o dia de Tereza de Benguela é reconhecer institucionalmente a importância dela e das mulheres negras como agentes da luta pela liberdade e pelos direitos humanos.

Últimas de Rio de Janeiro