Bebê sofre traumatismo craniano após ser espancada; pai é preso

Criança de três meses deu entrada no Hospital Salgado Filho, segunda-feira, com várias lesões pelo corpo

Por KARILAYN AREIAS

Bebê dá entrada no Hospital Municipal Salgado Filho com traumatismo craniano após ser espancada pelo pai
Bebê dá entrada no Hospital Municipal Salgado Filho com traumatismo craniano após ser espancada pelo pai -

Rio - Uma bebê de três meses, identificada como Alice de Lima Garcia, foi internada no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte do Rio, após ser espancada. O pai dela, Agnaldo Garcia Alves Filho, confessou o crime e está preso. 

A criança deu entrada na unidade, segunda-feira à noite, com traumatismo craniano, fratura na perna e vários hematomas pelo corpo. Segundo uma fonte, a fratura na perna é antiga, o que pode indicar que a criança sofre maus-tratos há algum tempo.

Procurada pelo DIA, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que a bebê teve uma leve melhora e será transferida, nesta quinta-feira, para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Municipal Jesus, no Maracanã, também na Zona Norte.   

O caso foi registrado na 23ª DP (Méier). Segundo o delegado Hilton Alonso, o homem foi preso em flagrante e será indiciado por maus tratos. 

Ainda segundo a polícia, Agnaldo bateu na menina enquanto a mãe estava no banho. A princípio, ele teria negado a agressão. Depois, em um segundo momento, o suspeito disse que teria colocado a criança em seu colo e que ela teria caído da cama, em uma tentativa de justificar o traumatismo craniano. 

Entretanto, a pediatra que assinou a documentação hospitalar constatou que o quadro clínico não era compatível com a história relatada, e que o “caso foi discutido com a equipe de pediatria de plantão e todos concordam que se trata de um caso suspeito de maus tratos”.

Convocada para prestar esclarecimentos, a mãe da criança revelou que Agnaldo declarava se incomodar com choro da criança. A mulher também contou que em outra ocasião encontrou a bebê com uma mordida na barriga, provocada pelo pai. 

Segundo relato de parentes, Agnaldo também possui um histórico de maus tratos e agressões com outros filhos, já que tentou sufocar outra filha quando ela tinha dois anos, além de bater no menino.

Denuncie

Os maus tratos contra crianças e adolescente pode ser denunciado de diversas formas. Uma delas é através do Disque 100, um serviço mantido pela Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal. O programa funciona 24 horas, todos os dias da semana e o anonimato é garantido.

Ao saber de caso de maus tratos, abuso ou abandono, também é possível acionar o Conselho Tutelar da sua região. Confira aqui a lista dos conselhos tutelares no Rio de Janeiro.

 

 

 

Últimas de Rio de Janeiro