Uma das novas e amplas capelas inauguradas no Cemitério da Penitência - Divulgação
Uma das novas e amplas capelas inauguradas no Cemitério da PenitênciaDivulgação
Por O Dia

Rio - Tecnologia a favor do meio ambiente e serviços diferenciados ao consumidor. Dois aspectos que se unem a uma engenharia inovadora no mercado fúnebre do Rio de Janeiro, começam a funcionar nesta terça-feira: tratá-se do complexo cemiterial da Penitência, no bairro do Caju, na Zona Portuária. A novidade está nos jazigos fabricados com material renovável, que irão compor os oito andares do novo cemitério vertical do empreendimento, em uma quantidade total de 25 mil unidades.

Acoplado às gavetas – feitas com um tipo de resina proveniente da fibra de coco e garrafa PET, e montadas em estrutura de metal –, um sistema automatizado regula a emissão de gases, tornando o ar atmosférico do local cem porcento limpo. A automatização também está presente nas capelas de velórios, onde é possível escolher as luzes, som e imagens do ambiente, tudo personalizado de acordo com o desejo da família ou de quem partiu.

Com uso de inteligência artificial, o sistema implantado controla a temperatura, pressão e umidade, injetando oxigênio no interior dos jazigos e, ao mesmo tempo, neutralizando gases tóxicos resultantes da decomposição, que são eliminados através de tubos que interligam todas as unidades do cemitério vertical. Após o processo de tratamento e filtragem, são devolvidos à natureza sob forma de hidrogênio. Uma central de telemetria monitora o processo 24 horas e é habilitada para emitir boletins periódicos. Em caso de interferência no processo, emitindo alertas para os gestores do cemitério, através de SMS, e-mail e APP telegrama. O sistema ainda possui 3 etapas de segurança para caso de falta de energia ou alteração no comando: bateria com vida útil de 8 horas, trava total do sistema e funcionamento com pressão negativa - o mesmo utilizado na engenharia de aviação.

O conceito sustentável também está presente no cemitério vertical, cujo projetado arquitetônico foi planejado para o máximo de aproveitamento da luz natural e para o reaproveitamento de água das chuvas. Um reservatório de 60 mil litros armazena essa água que será utilizada na manutenção dos jardins do cemitério parque e na limpeza de outras áreas. A medida deve promover uma economia de 20% ao mês no consumo de água do complexo.

No controle de poluentes, o Crematório da Penitência está na vanguarda dos equipamentos sustentáveis, usando filtros e sistemas de ponta.

Automação chama a atenção

Os serviços automatizados vão fazer a diferença nos inúmeros tipos de cerimoniais que o complexo cemiterial da Penitência passa a oferecer para os seus usuários. Um sofisticado software, capaz de produzir efeitos especiais, tem o papel de transformar a hora do adeus num momento memorável. Além disso, o Crematório e Cemitério da Penitência passa a oferecer um menu de serviços especiais para o gran finale: trilha sonora, música ao vivo, projeção de fotos e vídeos, chuva de pétalas de rosa, transmissão online e variados efeitos especiais. Atender aos últimos desejos de quem faleceu é prioridade. Para isso, a equipe de cerimonial fica a postos para buscar viabilizar os pedidos mais extravagantes e oferecer o máximo de personalização possível.

Há quem já esteja interessado nesse tipo de personalização. Kátia Otranto, 59 anos e Luiz Cláudio Nunes, de 64 anos, são os primeiros a planejarem a sua despedida. Ela já escolheu a música e a roupa de cigana que quer estar vestida no seu adeus. Já Luiz Cláudio quer muita música no seu velório com estilo black metal e já sonha com uma versão do Fantasma, tocada pelo Iron Maiden.

O conjunto tecnológico e a prestação dos serviços associados, automatizados e sustentáveis é inédita no setor e coloca o Crematório e Cemitério da Penitência como o único a ofertar esse tipo de serviço em toda a América Latina. 

 

Você pode gostar