Vila Kennedy registra 43 tiroteios em trinta dias

Dados do Fogo Cruzando mostram comunidade no topo do ranking de troca de tiros

Por Bruna Fantti

Exército fez operações na Vila Kennedy antes da extinção de UPP
Exército fez operações na Vila Kennedy antes da extinção de UPP -

Rio - O relatório de setembro da plataforma digital Fogo Cruzado apontou que a Vila Kennedy, na Zona Oeste, foi a localidade que mais apresentou tiroteios no mês: 43 em 30 dias. O número supera todas as trocas de tiros reportadas no bairro da Tijuca, segundo colocado no ranking com 23 registros no mesmo período.

A Vila Kennedy, com cerca de 42 mil moradores segundo o Instituto Pereira Passos, foi a primeira comunidade a ter uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) desativada pelo Gabinete de Intervenção Federal. A substituição por uma companhia destacada ocorreu em junho deste ano. Desde então, quadrilhas rivais de traficantes de drogas disputam a venda de entorpecentes na região, com confrontos diários.

No dia da inauguração da Companhia Destacada, base que substituiu os policiais que patrulhavam as ruas da comunidade, o porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz reconheceu o fracasso do processo de pacificação. "O objetivo de pacificar essa região não foi perdido, mas os meios para atingi-los não foram usados".

Procurados pela reportagem ontem para se posicionar a respeito das constantes trocas de tiros, a Polícia Militar e o Gabinete de Intervenção não se manifestaram.

Apesar do alto número de troca de tiros na Vila Kennedy houve queda na incidência de tiros no estado, de acordo com o relatório.

Em setembro, a plataforma registrou 857 disparos por arma de fogo na Região Metropolitana do Rio, uma redução de 15% em relação a agosto. Os municípios com mais tiros foram: Rio de Janeiro (521), São Gonçalo (84), Belford Roxo (62), Duque de Caxias (40) e Niterói (34).

 

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro