Haddad recebe apoio de quase 70 torcidas organizadas e líderes religiosos

Rivais como Vasco e Flamengo se uniram em manifesto a favor do petista

Por Agência Brasil

Evento foi feito no teatro da PUC/sP
Evento foi feito no teatro da PUC/sP -

São Paulo - O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, recebeu na noite desta segunda-feira o apoio de 69 torcidas organizadas de clubes de futebol, unindo Corinthians e Palmeiras, Flamengo e Vasco, Internacional e Grêmio, entre outros rivais. O evento de apoio ao petista aconteceu no Teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Tuca) e também teve a participação de líderes religiosos de diversos credos, artistas e intelectuais.

Os torcedores subiram ao palco, onde estava Haddad, para defender o que chamaram de Manifesto das Torcidas pelo Brasil. No documento, assinado por representantes do Corinthians, Internacional, Grêmio, Vasco, Palmeiras, Flamengo, Santa Cruz, Sport, Náutico, Cruzeiro, São Paulo, CSA, entre outros, os esportistas destacam a importância do diálogo.

“É imensamente importante que tenhamos clareza e diálogo para nos posicionarmos nesse momento em nome da democracia e da liberdade. Caso contrário, todos os nossos sonhos e lutas terão sido em vão”, diz o documento.

Religiosos católicos, evangélicos, budistas e de matrizes africanas também subiram no palco para fazer uma oração pela candidatura de Haddad. Intelectuais e artistas ressaltaram a importância de defender a democracia e o Estado de Direito.

Alerta

Haddad aproveitou para agradecer o apoio de Marina Silva - Miguel Schincariol / AFP

Durante o evento, Haddad agradeceu o apoio divulgado, também nesta segunda, pela candidata derrotada da Rede, Marina Silva. "Esse reencontro democrático me enche de orgulho", afirmou o presidenciável, que mais cedo, nas redes sociais, lembrou da convivência harmônica e respeitosa com Marina Silva quando ambos eram ministros.

Haddad acrescentou que as propostas do adversário Jair Bolsonaro (PSL) podem até serem aceitas em um momento de "delírio", mas jamais prevalecerão. "A humanidade jamais vai concordar com o arbítrio. Pode até, em um momento de delírio, de perturbação, de raiva, de ódio, ela pode até querer abraçar um projeto que ele representa”.

Em seguida, o candidato acrescentou: "Mas a gente acorda desse pesadelo e realiza a humanidade que todo mundo tem dentro de si. Ele é o antisser humano, é tudo que precisa ser varrido da face da Terra", afirmou.

Reações

Estiveram presentes torcidas organizadas e líderes religiosos - Miguel Schincariol / AFP

Haddad reiterou a rejeição pelo tom adotado pelo adversário, que pregou a exclusão dos “vermelhos” durante ato na Avenida Paulista. "Ontem (domingo) ele fez um vídeo muito grave, que eu nunca tinha visto uma pessoa ter coragem de fazer: que é ameaçar de morte um adversário, ameaçar a integridade física dos seus opositores, dizendo que não terão lugar no Brasil, ou a cadeia ou o exílio. Disse com todas as letras, está gravado, registrado para a posteridade”.

Mais cedo, o candidato do PT disse, ao comentar o mesmo episódio, que as instituições não estão reagindo às ameaças à democracia.

Haddad ressaltou que, até domingo (dia da votação do segundo turno), o país vai perceber o verdadeiro projeto político de Bolsonaro. "É uma pessoa que saiu das trevas da ditadura, dos porões da ditadura e, sem que as pessoas consigam perceber o que ele representa, ainda, porque nós temos até domingo para demonstrar, ele vem galgando degraus e agora parece como um paladino da restauração de uma ordem que ninguém quer mais" .

Galeria de Fotos

Evento foi feito no teatro da PUC/sP Miguel Schincariol / AFP
Fernando Haddad (PT) Miguel Schincariol / AFP
Estiveram presentes torcidas organizadas e líderes religiosos Miguel Schincariol / AFP