No trânsito, 141 pessoas foram socorridas por dia

Raio-x do Corpo de Bombeiros em 2017 mostra ainda que três em cada quatro vítimas, em todo estado, foram homens de 20 a 29 anos

Por O Dia

Motorista morreu em acidente na Linha Vermelha, na altura do Caju
Motorista morreu em acidente na Linha Vermelha, na altura do Caju -

Rio - Três em cada quatro vítimas de acidente de trânsito no ano passado, no estado do Rio, foram jovens, de 20 a 29 anos, do sexo masculino. A incidência foi 324% maior do que entre as mulheres da mesma idade. Os dados, divulgados pelo Corpo de Bombeiros, são do raio-x sobre ocorrências de trânsito. Em 2017, os bombeiros socorreram uma média de 141 pessoas por dia 71,8% homens e 28,2% mulheres.

As motocicletas apareceram como meio de locomoção campeão em vítimas atendidas (47,7%), seguidas dos automóveis (28,9%), dos atropelamentos (11,7%) e das bicicletas (6,9%). Apenas 2,8% das pessoas socorridas estavam em ônibus, 1,2% em caminhões e 1% em vans.

"Embora as motos só representassem 16,7% da frota do estado, foram responsáveis por quase metade dos socorros a vítimas registrados 2017", disse o secretário de Estado de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Roberto Robadey Jr.

As colisões envolveram 24.516 pessoas, a maioria delas (66,3%) contra anteparos ou outros veículos. Quedas representaram 33,7% dos casos. Já os automóveis, que correspondem a 68,2% da frota, foram registrados como meio de transporte de menos de 1/3 dos atendidos.

Dos 1.236 óbitos constatados na cena do socorro, 35,5% envolviam condutores ou tripulantes de motocicletas, 33,9% ocupantes de automóveis e 20% de pedestres. Os outros 10,6% contabilizam outros perfis.

O relatório aponta ainda que apenas 44,7% dos acidentados em automóveis usavam o cinto de segurança. Entre os motociclistas, a utilização do capacete foi registrada em 63% dos casos. O assento infantil só foi percebido em 34,6% dos socorros envolvendo crianças de zero a 7 anos.

"Quanto maior a proteção, menor a lesão. Nossos registros mostram, por exemplo, que apenas 25,3% das vítimas graves de acidentes de carro, com risco iminente de vida, estavam de cinto. Dentre os que saíram ilesos, 69,9% usavam o equipamento de proteção", destacou Robadey.

Os eventos que geraram maior número de traumas graves foram os atropelamentos. Membros inferiores (34%) e superiores (31,6%) foram as partes mais afetadas dentre as lesões causadas.

 

Galeria de Fotos

Motorista morreu em acidente na Linha Vermelha, na altura do Caju Reprodução
2017-11-19 -Um onibus da empresa Divina Luz Capotou na subida da serra das Araras, em Paracambi, deixando 3 mortos e 36 feridos. O Onibus seguia de Duque de Caxias para Paracambi. Foto - Maíra Coelho / Agência O Dia. Cidade, Crime, Acidente, Mortes, Dutra, Transito, Maira Coelho/Agencia O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro