Policial militar que agrediu banhistas já havia agredido menores no ano passado

Nas imagens que chegaram através do WhatsApp do O DIA (98762-8248), ao menos seis jovens aparecem sentados no meio fio e são conduzidos por cerca de cinco agentes sendo que, dois deles, incluindo o policial investigado, os acertam com cacetetes

Por *Luiza Ferraz

Policial militar que agrediu banhistas em Ipanema é flagrado em outro caso de agressão
Policial militar que agrediu banhistas em Ipanema é flagrado em outro caso de agressão -

Rio - O policial, que foi filmado agredindo banhistas em Ipanema, na Zona Sul do Rio, na tarde da última quinta-feira, e que sacou arma em confusão envolvendo agentes do Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal, já havia tido atitudes semelhantes no ano passado. Um vídeo que chegou através do WhatsApp do O DIA (21 98762-8248) mostra o agente agredindo menores na Avenida Vieira Souto no dia 31 de dezembro de 2018.

Nas imagens (assista abaixo), ao menos seis jovens aparecem sentados no meio fio e são conduzidos por cerca de cinco agentes sendo que, dois deles, incluindo o policial investigado, os acertam com cacetetes. As imagens foram feitas por pedestres que passavam na hora do ocorrido. Segundo o autor do vídeo, os menores foram liberados, mas obrigados a voltar para casa e não ficarem na praia por causa da aparência deles.

Procurada, a Polícia Militar afirmou que estas imagens serão anexadas ao procedimento apuratório aberto e que ele seguirá afastado preventivamente do trabalho nas ruas. Contudo, ressaltaram que o agente continuará trabalhando nas atividades internas da unidade.

A denúncia sobre esse caso foi encaminhada ao Ministério Público. O órgão, no entanto, não informou sobre o andamento dele até o fechamento desta reportagem.

Casos anteriores

O policial militar identificado apenas pelo número 559 foi o responsável por agredir jovens que estavam na praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio, na última quinta-feira. Segundo uma das vítimas, a agressão teria sido motivada por um cigarro de tabaco. Em alguns vídeos que circularam nas redes sociais, outros agentes aparecem tentando controlá-lo para evitar as pancadas.

No dia 11 deste mês, o mesmo agente sacou uma arma durante uma confusão generalizada envolvendo guardas municipais e militares do Corpo de Bombeiros na Praia do Arpoador, na mesma região.

De acordo com a Polícia Militar, o comando do 23º BPM (Leblon) identificou o policial e adotou as medidas cabíveis referentes ao caso mostrado no vídeo referente à agressão na praia de Ipanema. Ele recebeu determinação para comparecer ao batalhão ainda durante o serviço, onde prestou depoimento para que o fato seja apurado.

Ainda de acordo com a corporação, o comandante do batalhão em questão, Coronel Ruy França, produzirá um estudo de caso para orientar os policiais que executam o policiamento de praia.

Referente à participação do policial no conflito no Arpoador, a PM informou apenas que os policiais militares estavam no local para resolver a confusão e que não havia "indícios de que fossem parte da ocorrência" - o que, segundo eles, explica o não afastamento do agente do efetivo de serviço de rua na época. 

*Estagiária sob supervisão de Ricardo Calazans

Comentários