Mais Lidas

Vítima de atropelador embriagado em Rocha Miranda foi arrastada por 30 metros

Na audiência de custódia, nesta terça-feira, juiz converteu em prisão preventiva o flagrante de Marcelo Raimundo dos Santos, que alegou ter sido agredido por populares para justificar atropelamento de multidão em festa de carnaval

Por ADRIANO ARAÚJO

Marcelo Raimundo avançou carro sobre multidão na Rua Veríssimo Machado, durante festa em Rocha Miranda
Marcelo Raimundo avançou carro sobre multidão na Rua Veríssimo Machado, durante festa em Rocha Miranda -

Rio - A Justiça do Rio converteu o flagrante por prisão preventiva a detenção de Marcelo Raimundo dos Santos, 42 anos, que atropelou uma multidão durante uma festa de carnaval na Rua Veríssimo Machado, em Rocha Miranda, na Zona Norte, no último domingo. Várias pessoas foram atingidas e uma das vítimas, que prestou depoimento à polícia, disse que foi arrastada por cerca de 30 metros.  

Durante a audiência de custódia, dentro da Cadeia Pública Frederico Marques, em Benfica, Marcelo Raimundo permaneceu algemado, para "preservação da integridade física dos presentes", segundo o juiz Alex Quaresma Ravache. O atropelador, que estava conduzindo um Hunday I30, disse apenas que foi agredido por populares no local da festa. Vídeos, compartilhados nas redes sociais, mostram o carro em alta velocidade avançando sobre a multidão.

A defesa pediu a liberdade provisória de Marcelo Raimundo, que não foi concedida. Na decisão, o magistrado justifica a prisão preventiva alegando que "os fatos narrados revelam a gravidade concreta do delito". O juiz expõe que o acusado "conduzia um automóvel e acelerou em via pública de forma abrupta na direção de pessoas que participavam de um bloco carnavalesco, atingindo e ferindo várias pessoas" e reforça a embriaguez, confirmada após exame.

"O laudo constante dos autos atesta que o custodiado apresentava 'alteração da capacidade psicomotora (embriaguez), esta ocasionada pelo consumo de bebida alcoólica'", diz a sentença. Marcelo foi preso em flagrante pelos crimes de tentativa de homicídio, dano e dirigir veículo automotor embriagado ou sob efeito de droga.

Testemunha diz que motorista fez disparos antes de atropelar foliões

Testemunhas ouvidas pelo DIA alegam que Marcelo Raimundo fez disparos de arma de fogo antes de entrar no veículo. Ao menos 30 pessoas foram atingidas e cinco delas ficaram feridas. Segundo uma moradora próxima do local onde aconteceu a confusão, ela não sabe em que direção o motorista atirou. 

"Mas parece que ele queria pegar alguém. Depois alguém ainda atirou em cima dele, mas ele não foi atingido", afirmou a moradora. Ainda segundo testemunhas, o atropelamento aconteceu na saída da turma de bate-bola Terremoto, conforme mostra imagens da Web.

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Marcelo Raimundo avançou carro sobre multidão na Rua Veríssimo Machado, durante festa em Rocha Miranda Estefan Radovicz / Agência O Dia
Carro usado para atropelar foliões tinha marcas de tiros Estefan Radovicz / Agência O Dia

Comentários