Mais Lidas

Adolescente pretendia atacar aluno e se matar em seguida, diz secretário sobre briga em Campo Grande

Seeduc antecipará programa de segurança nas escolas para este semestre ainda

Por RENAN SCHUINDT

CIEP Brigadeiro Sérgio Carvalho
CIEP Brigadeiro Sérgio Carvalho -

Rio - O adolescente que esfaqueou um estudante no Ciep Brigadeiro Sérgio Carvalho, na tarde desta quinta-feira, pretendia atacar alguém aleatoriamente e se matar em seguida, segundo o secretário estadual de Educação, Pedro Fernandes. Por causa do incidente e do Massacre de Suzano, a Seeduc antecipará para o primeiro semestre o programa de segurança nas escolas. 

O Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis) com patrulhamento e policiamento nas escolas estava previsto para o segundo semestre deste ano. 

Um jovem foi esfaqueado no braço e levado para o Hospital Rocha Faria, no mesmo bairro, onde recebeu atendimento médico e foi liberado. Inicialmente, funcionários da escola e do Corpo de Bombeiros disseram que houve uma briga entre os alunos na unidade, no entanto, a Polícia Civil investigará o caso. 

A vítima prestará depoimento na 35ª DP (Campo Grande). Segundo a mãe do autor do ataque, o filho tem problemas psicológicos.  

Outros dois estudantes ficaram feridos. Mas segundo os funcionários, os ferimentos foram leves e devido ao pânico. As aulas da unidade foram suspensas. 

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) informou que, por volta de 13h20 desta quinta-feira, um adolescente de 16 anos, portando uma arma branca (faca), desferiu golpe em um estudante de 15 anos, que teve ferimento leve no braço.

"O aluno ferido foi encaminhado para o hospital, fez curativo e foi liberado. A Polícia Militar esteve no Ciep e conduziu o jovem agressor à 35ª Delegacia de Polícia, em Campo Grande, onde foi feita a ocorrência. A vítima fará exames de corpo de delito e o agressor será levado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A Seeduc está acompanhando o caso junto às famílias dos alunos, ao Ciep e às autoridades policiais e está dando todo suporte psicológico, médico e assistencial à família da vítima", disse a pasta. 

 

 

 

 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários