Jornalista Carlos de Lannoy é ameaçado por cobertura de carro fuzilado pelo Exército

Homem disse que família do repórter da Rede Globo 'vai pagar'

Por O Dia

Ameaça ao jornalista foi feita na Internet
Ameaça ao jornalista foi feita na Internet -

Rio - O jornalista Carlos de Lannoy denunciou que foi ameaçado por causa da cobertura do caso do carro da família que foi fuzilado por militares do Exército, neste domingo. No Twitter, o repórter da Rede Globo disse que as ameaças aconteceram em seu perfil no Instagram após a reportagem ser exibida no "Fantástico".

No print postado por de Lannoy, o perfil supostamente de um homem diz, entre outras coisas, que "mexeu com o Exército, assinou sua sentença. Sua família vai pagar. Aguarde cartas". O jornalista respondeu à ameaça dizendo que "não ficará assim".

As ameaças a de Lannoy - Reprodução / Twitter

Depois que a ameaça repercutiu, o ameaçador excluiu seu perfil no Instagram e no Twitter. Antes, ele pediu desculpas ao jornalista, disse que o comentário foi apagado e que de Lannoy "é um grande profissional".

O ameaçador pediu desculpas ao jornalista depois da repercussão do caso - Reprodução / Instagram

Nas redes sociais, o homem, que é do Rio Grande do Norte e formado em Direito, se diz fã do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e da ditadura militar.

Postagens do ameaçador nas redes sociais - Reprodução / Internet
Postagens do ameaçador nas redes sociais - Reprodução / Internet

Ele também já fez críticas às investigações do caso Marielle Franco e à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).

Postagens do ameaçador nas redes sociais - Reprodução / Internet

Galeria de Fotos

Ameaça ao jornalista foi feita na Internet Reprodução / TV Globo
As ameaças a de Lannoy Reprodução / Twitter
Postagens do ameaçador nas redes sociais Reprodução / Internet
Postagens do ameaçador nas redes sociais Reprodução / Internet
Postagens do ameaçador nas redes sociais Reprodução / Internet
O ameaçador pediu desculpas ao jornalista depois da repercussão do caso Reprodução / Instagram

Comentários