Polícia Militar vai dar apoio a fiscais da prefeitura em demolições na Muzema

Apoio será enviado ao local assim que o prefeito Marcelo Crivella pedir. Funcionários revelaram que têm sido intimidados pela milícia, que comanda a região, durante ações de fiscalização às construções irregulares

Por RAFAEL NASCIMENTO

Bombeiros fazem resgate nos escombros
Bombeiros fazem resgate nos escombros -

Rio - Em conversa com O DIA, na manhã desta segunda-feira, o secretário da Polícia Militar, o coronel Rogério Figueiredo, disse que a corporação está à disposição da Prefeitura do Rio para dar o apoio necessário na segurança de funcionários das secretarias e órgãos da Prefeitura durante demolição de prédios irregulares construídos pela milícia na Muzema, no Itanhangá, Zona Oeste do Rio.

Desde janeiro, fiscais da secretaria de Infraestrutura e Habitação já estiveram na Muzema ao menos quatro vezes para tentar derrubar as edificações clandestinas. Entretanto, foram ameaçados por milicianos e tiveram que sair do local.

“Atuaremos em apoio à Prefeitura sempre que for solicitado, com certeza”, disse Figueiredo. Na última sexta-feira, dois edifícios do Condomínio Figueira do Itanhangá ruíram na comunidade matando ao menos dez pessoas. Outras quinze podem estar debaixo dos escombros, segundo fontes do Corpo de Bombeiros. Os militares trabalham há quatro dias em buscas dessas possíveis vítimas.

O DIA apurou que o prefeito Marcelo Crivella poderia ter pedido apoio da PM para que agentes da corporação acompanhassem os funcionários ao local nos dias das ações, mas não pediu auxílio à PM. Apenas guardas municipais — que não têm porte de armas — foram ao local e também acabaram expulsos.

Comentários