Limpeza das ruas da comunidade da Muzema fica por conta de moradores

Eles já contrataram até retroescavadeira e caminhão para retirar barro, entulho e lixo. Nesta terça, guardas municipais tentaram multar moradores

Por RAFAEL NASCIMENTO

Moradores alegam quem limparam a rua sem auxilo do poder público
Moradores alegam quem limparam a rua sem auxilo do poder público -

Rio - Devido à ausência do poder público, os próprios moradores da comunidade da Muzema, onde dois prédios desabaram na sexta-feira passada, estão fazendo a limpeza de barro, entulho e lixo espalhados nas ruas. Alguns ainda tiveram um estresse com guardas municipais no início da tarde desta terça-feira. Os agentes tentaram multar os moradores que estacionaram seus carros a cerca de 400 metros de onde ocorreu a tragédia. Até o momento, o desastre já contabiliza 17 mortos e sete desaparecidos.

Até retroescavadeira e caminhão-baú foram contratados por voluntários para fazer o trabalho que deveria ser da Comlurb e da Prefeitura do Rio. Em uma rua, os moradores contaram que já retiraram cinco caminhões de barro.

A confusão começou porque as pessoas que se mobilizam na limpeza interditaram uma rua para impedir a passagem de outros carros. A Guarda Municipal interviu para retirar a interdição, e houve bate-boca e empurra-empurra. Alguns moradores estão praticamente "ilhados" com tanto entulho. No fim, ninguém acabou multado.

Moradores interditaram rua para evitar passagem de outros veículos - Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

"Nós estamos abertos para vocês, estamos abertos para o socorro, prefeitura. Todo mundo é trabalhador, gente de bem", disse um dos moradores para os guardas. "A minha opinião é para deixar a rua fechada. Eu que arrumei trator com amigos meus", ressaltou outro. "Comlurb, ninguém veio aqui. Fomos tratados que nem cachorros. Defesa Civil não está nem aí também", completou.

"A prefeitura, o Exército... Tinha uma máquina do Exército que estava parada ali e poderia ter ajudado a gente. Estava o dia todo parada. Sabe o que é isso? Se tivesse uma emergência ali, não tinha como nem uma ambulância passar. Nem para isso tiveram inteligência", argumentou um dos voluntários aos guardas municipais.

Galeria de Fotos

Moradores alegam quem limparam a rua sem auxilo do poder público Daniel Castelo Branco / Agência O Dia
Resgate de vítimas do desabamento de dois prédios na Muzema, na Zona Oeste do Rio. Moradores fazem manifestação conta a falta de apoio da prefeitura. Eles alegam quem limparam a rua sem auxilo do poder publico. Foto: Daniel Castelo Branco / Agência O Dia - desabamento, corpos, muzema, milicia, defesa civil, bombeiros, resgate Daniel Castelo Branco / Agência O Dia

Comentários