STM adia decisão sobre liberdade a militares que fuzilaram carro e mataram músico

Militares continuarão presos até o novo julgamento

Por O Dia

Carro foi atingido por 80 tiros
Carro foi atingido por 80 tiros -
Rio - O Superior Tribunal Militar (STM) decidiu adiar, no início da noite desta terça-feira, a decisão sobre conceder ou não habeas corpus aos nove militares envolvidos na morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, de 46 anos, que estava em um veículo alvejado com 83 tiros em Guadalupe, na Zona Norte do Rio. O caso está em fase de investigação na primeira instância da Justiça Militar. 
No dia 7 de abril, o carro em que o músico estava com a família foi metralhado por mais de 80 tiros disparados por militares do Exército. O veículo foi supostamente confundido com um automóvel em que estariam criminosos.
Evaldo seguia com a família para um chá de bebê. Além do músico, o sogro dele baleado nos glúteos, internado em um hospital e liberado sete dias depois. O catador de recicláveis Luciano Macedo, que passava pelo local e tentou ajudar as vítimas, também foi atingido por três tiros nas costas e morreu no dia 18 de abril.
A audiência foi interrompida após o voto de quatro ministros. Três votos foram favoráveis ao pedido de liberdade e um voto foi contrário. O STM deverá retomar o julgamento em dez dias. Os militares seguirão presos até a nova sessão.
 
 
 
 
 
 
 

Comentários