Homem que atropelou manifestantes em Niterói presta depoimento

Carro do atropelador passou por perícia. Fisioterapeuta não ficou preso e vai responder em liberdade por tentativa de homicídio

Por RAFAEL NASCIMENTO

O fisioterapeuta André Luiz da Cunha Serejo antes de avançar contra os manifestantes
O fisioterapeuta André Luiz da Cunha Serejo antes de avançar contra os manifestantes -
Rio - O fisioterapeuta André Luiz da Cunha Serejo, de 46 anos, prestou depoimento no final da tarde desta sexta-feira, na 76ª DP (Niterói). O homem atropelou cinco manifestantes em Niterói, na manhã de sexta-feira, durante a greve geral contra a Reforma da Previdência e o contingenciamento de recursos da Educação que aconteceu em todo o país.
Horas antes de prestar esclarecimentos, o veículo do homem, um Fox Vermelho, foi encontrado pela Polícia Militar na garagem de um prédio na Avenida Jornalista Roberto Marinho, no bairro do Colubandê, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, mas o atropelador não estava no local. Ainda ontem, o carro do suspeito também passou por uma perícia.
Após prestar depoimento, Serejo foi liberado. O fisioterapeuta vai responder em liberdade por tentativa de homicídio. O DIA apurou que o delegado Claudio Otero Ascoli só vai dar juízo de valor após a conclusão das investigações, que deve ficar pronta daqui a 20 dias.
Outras pessoas estão sendo esperadas para prestarem depoimentos nos próximos dias. A Polícia Civil informou o que o motorista compareceu espontaneamente à delegacia, após receber atendimento médico, mas não disse o que ele falou em sua defesa, apenas que o atropelador apresentou "sua versão dos fatos".   
Carro avança contra manifestantes e deixa cinco feridos em Niterói - Samuel Tosta/Aduff
Segundo a PM, o automóvel, que está no nome de um fisioterapeuta, foi encontrado com o vidro traseiro quebrado, além de outras avarias na lataria. Os policiais foram até o local após receberem informações do Disque Denúncia. No final da noite da sexta-feira, um reboque da PM deixou o carro na 76ª DP (NIterói).
Multas por várias infrações
No sistema de multas da Prefeitura do Rio, o veículo consta com seis multas no período de 2007 até 2010, sendo três gravíssimas. Entre as infrações registradas há avanço de sinal vermelho, ultrapassagem de parada obrigatória e excesso de velocidade.
Segundo a Prefeitura de Niterói, as câmeras do sistema de segurança da cidade identificou a placa e as características do veículo e encaminhou as imagens à Polícia Civil.

Vítimas prestam depoimento

Durante o ato, cinco pessoas foram atropeladas. Entre elas a professora universitária Kate Lane Costa de Paiva, de 32 anos. Segundo a docente, o motorista do carro que atingiu os manifestantes sabia e tinha consciência do que estava fazendo. O carro passou por cima da perna da professora. "Estávamos fechando a rua e o carro vermelho viu as pessoas que estavam parando o trânsito. Ele estava parado no sinal e de repente ele resolveu avançar para cima das pessoas", lembra a mulher. "Ele viu o que ia acontecer. Ele quis arrastar as pessoas, e, foi isso que ele fez", completa a professora universitária.
Kate Lane e um dos alunos feridos prestaram depoimento. Ambos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal para realizar exame de corpo de delito.

Além de Kate, também ficaram feridos a professora Marinalva Olivera, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e outros três alunos, segundo a Associação de Docentes da Universidade Federal Fluminense (Aduff). Em nota, a Aduff repudiou o atropelamento. O presidente da associação Carlos Augusto Junior afirmou que o episódio é "inaceitável".
 

Galeria de Fotos

O fisioterapeuta André Luiz da Cunha Serejo antes de avançar contra os manifestantes Samuel Tosta/Aduff
Carro avança contra manifestantes e deixa cinco feridos em Niterói Samuel Tosta/Aduff

Comentários