Youtuber denuncia ter sido agredida por dois homens em bar da Praça da Bandeira

Jovem narrou a história na Internet e reclamou da postura do dono do estabelecimento

Por BEATRIZ PEREZ e RAI AQUINO

Rafaela Cavalcanti diz que foi agredida na madrugada de domingo
Rafaela Cavalcanti diz que foi agredida na madrugada de domingo -
Rio - A youtuber Rafaela Cavalcanti, de 22 anos, denuncia que foi agredida por dois homens, na madrugada do último domingo, no bar Heavy Duty, tradicional ponto de encontro de motociclistas na Rua Ceará, na Praça da Bandeira, Zona Norte do Rio. Moradora da Taquara, na Zona Oeste, ela conta que estava com o marido e um amigo quando um homem esbarrou "com força" neles na pista de dança. Mas uma das agressões não partiu dele.
"Ele não pediu desculpas e comecei a discutir com ele. Ele também discutiu comigo e joguei o copo de bebida nele. Só que a bebida respingou em outro rapaz, que perguntou se joguei algo nele. Disse que não era para acertá-lo e ele me deu um soco no olho", conta ao DIA, depois de relatar o caso em seu canal no Youtube; assista ao vídeo!
Rafaela conta que após ter sido agredida, o homem correu para a parte externa do bar e ela foi atrás. Foi quando aconteceu a segunda agressão. De acordo com ela, por uma terceira pessoa que não estava envolvida de nenhuma forma com a discussão.
"O cara puxou o meu cabelo e meu deu um soco no nariz. E eu ainda pensando no primeiro cara, que tinha corrido", relembra.
A youtuber ainda reclama que, no meio da discussão, o primeiro rapaz que a agrediu conseguiu deixar o bar com o consentimento do dono. Enquanto isso, os amigos do segundo agressor negaram que ele a tinha agredido, dizendo que ela é que teria batido nele.
"O Zeca (dono do bar) começou a falar que eu era mentirosa. Só quando disse que iria contar para todo mundo que aconteceu é que ele ficou preocupado... quis se desculpar, dizendo que não deixou o cara sair, mas até aí ele já tinha me chamado de mentirosa", reclama, contando que deixou o local em seguida.
CORPO DE DELITO
Na manhã desta terça-feira, Rafaela esteve na 42ª DP (Tanque) para registrar as agressões. Ela diz que decidiu ir até a polícia principalmente porque muitas pessoas não acreditam na história. Da delegacia, ela foi encaminhada ao IML de São Cristóvão para fazer exame de corpo de delito.
"Estou chateada com tudo isso principalmente porque ninguém me ajudou na hora. Mas apesar disso, estou tranquila porque muitos me apoiam agora. Mas quero provar que estou falando a verdade", defende.
Procurado pelo DIA, o dono do Heavy Duty, Zeca Afonso da Silva, 54, disse que a casa não tem seguranças e que não interveio porque naquela noite estava na porta do bar e não identificou os agressores.
"Eu sou contra segurança porque a pessoa que está bêbada, se é abordada, vai partir para cima do segurança. Todo lugar que tem segurança, rola mais confusão. Eu sempre tomei conta do bar. Quando há confusão eu peço pra sair, mas vou reavaliar essa questão da segurança", disse ele.
O empresário disse ainda que o Heavy Duty não "acoberta violência contra a mulher". "Vou oferecer fotos tiradas por fotógrafo durante a festa para que a jovem tente identificar o homem que a agrediu", afirmou.
REPERCUSSÃO
Muitas pessoas procuraram os perfis do bar nas redes sociais para reclamar da atitude do proprietário, que também publicou um vídeo na página (assista mais abaixo).
"Pode ser famoso, mas tenho muito medo desse lugar", disse uma internauta. "Não cabe a ninguém opinar quem é o errado e sim se a casa tem meios de provas para prestar à polícia", disse outro. "Como uma casa noturna não tem seguranças?", questionou um terceiro.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro