Prefeitura anuncia obras no Hospital Pedro II após uma semana de intervenção

Profissionais já começaram a passar por treinamento. Unidade já atendeu 2.389 casos de emergência neste período

Por RENAN SCHUINDT

Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, passará por obras de reestruturação
Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, passará por obras de reestruturação -
Rio - Passada uma semana desde a montagem de um gabinete dentro do Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disse que os resultados são positivos. De acordo com a pasta, neste período, foram mais de 2 mil atendimentos na Emergência. Mais de 100 paciente foram redirecionamentos para suas respectivas unidades de Atenção Primária, com atendimento agendado, o que é uma novidade. O treinamento dos profissionais também já foi iniciado. Agora, uma obra de reestruturação será feita na unidade. 
Hoje, enfermeiros e técnicos de enfermagem participaram de processo seletivo para contratação de profissionais e realinhamento de fluxo da unidade. Trinta e seis funcionários que cuidam da porta de entrada também passaram por um treinamento para melhorar o processo de acolhimento. Segundo a SMS, o gabinete itinerante ocorrerá toda semana em hospitais e centros de emergência regional (CERs), clínicas da família, centros municipais de Saúde (CMSs), maternidades, UPAs e centros de atenção psicossocial (CAPS).
“A emergência está trabalhando junto com a Atenção Primária na classificação de risco. Pessoas que procuram a emergência com casos de menor complexidade e ambulatoriais, que precisam resolver isso com exames simples, já saem daqui com a agenda marcada para sua clínica da família”, explicou a secretária Beatriz Busch, que anunciou obras na unidade. “A Secretaria Municipal de Obras esteve aqui para fazer orçamentos e uma programação de intervenções importantes. Esse hospital vai ter outra cara.”
Além das equipes do gabinete da SMS e das subsecretarias de Atenção Hospitalar, Urgência e Emergência (Subhue), equipes de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde (Subpav), de Regulação, Controle, Avaliação, Contratualização e Auditoria (SubReg) e de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses (Subvisa) estiveram na unidade. De acordo com a SMS, nos últimos sete dias foram verificados processos de trabalho, corrigidas falhas de gestão e programados cursos e treinamentos para qualificar os serviços da unidade. 
Desde que deu início à intervenção, por meio do gabinete itinerante, o hospital registrou 2.389 atendimentos de emergência. Desses, 104 pacientes, com casos considerados ambulatoriais ou de baixo risco (classificações de risco azul ou verde), foram redirecionados para a Clínica da Família mais próxima da residência.  Algumas delas foram identificadas por Busch. "Conversamos com os pacientes e seus familiares. Corrigimos as escalas dos profissionais e normalizamos a falta de insumos e de enxovais", disse a secretária.

Na última quarta-feira, uma equipe da Vigilância Sanitária esteve na cozinha e na farmácia do hospital. Os profissionais que trabalham nos dois setores já começaram a passar por capacitação. Os primeiros cursos, de boas práticas na manipulação de alimentos e de procedimento operacional para as nutricionistas, começaram a ser ministrados.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários