BRT usará verificação eletrônica para evitar calotes

A ferramenta será utilizada a partir desta segunda-feira

Por O Dia

Novo método de segurança será utilizado para evitar fraudes no BRT
Novo método de segurança será utilizado para evitar fraudes no BRT -
Rio - A partir de segunda-feira, o BRT usará a verificação eletrônica, mais uma ferramenta para evitar o calote. Agentes do consórcio, acompanhados da Guarda Municipal, vão atuar com máquinas portáteis para verificar a validação do RioCard nas catracas. Em caso de não comprovação do benefício da gratuidade ou do não pagamento da tarifa, a multa será de R$ 170, aplicada pela Guarda Municipal. De acordo com o consórcio, cada passageiro deverá ter seu próprio cartão. 
Outra medida que já havia sido tomada para evitar calotes, foi a implementação de guarda-copo nas laterais da área de embarque, assim, os caloteiros não conseguem entrar na frente dos usuários que pagaram passagem. De acordo com o BRT, por dia, 74 mil pessoas dão calotes no articulado. O prejuízo é estimado em R$ 5 milhões por mês, o equivalente ao preço de cinco ônibus novos.
Em fevereiro deste ano, o interventor Luiz Salomão,  disse que a solução para os calotes seria a contratação de PMs por meio de Programa Estadual de Integração da Segurança (Proeis), um trabalho extra realizado durante a folga, para órgãos conveniados com a corporação.
Em março, o município tirou o beiral da plataforma do Mato Alto, em Guaratiba, aumentando a distância entre o ônibus e a estação para evitar que passageiros entrassem pela lateral sem pagar. 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários