Dois PMs foram mortos em um intervalo de duas horas nesta quarta-feira no Rio. Disque Denúncia oferece recompensa de R$ 5 mil - Divulgação
Dois PMs foram mortos em um intervalo de duas horas nesta quarta-feira no Rio. Disque Denúncia oferece recompensa de R$ 5 milDivulgação
Por O Dia
Rio - Nesta quarta-feira, dois policiais militares foram mortos em um intervalo de duas horas na Região Metropolitana do Rio. Às 18h, o sargento Carlos Otávio Marques foi atacado por criminosos enquanto patrulhava na BR-101, perto da comunidade Recanto das Acácias, em São Gonçalo. Duas horas depois, na capital, o sargento do Bope Mário Luis Mendonça Lopes foi morto em uma tentativa de assalto em Olaria, na Zona Norte. Este ano, já são 28 PMs mortos no estado. Uma recompensa de R$ 5 mil é oferecida por denúncias que levem à prisão dos assassinos dos oficiais. 
Lotado no Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidões (Recom), o sargento Carlos Otávio foi baleado com um tiro na cabeça. Criminosos armados teriam atirado contra a viatura que estava baseada próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Ele chegou a ser socorrido por colegas e levado para o Hospital Estadual Alberto Torres (Heat), no Colubandê, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.
Publicidade
Às 20h, Mario Luiz, primeiro sargento do Bope, do Comando de Operações Especiais (COE), sofreu uma tentativa de assalto em Olaria, Zona Norte do Rio, quando chegava em casa. Dois criminosos armados com pistolas o renderam, mas ele reagiu e foi baleado nas costas. Ele foi socorrido para o Hospital Balbino, em Olaria, acabou não resistindo.
Publicidade
Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do acusados de matar os dois sargentos podem informar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; através do Facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Todas as informações serão encaminhadas à Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) e Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), responsáveis pelas investigações.