Coronel da PM desacata soldado em abordagem em Piedade

Segundo agentes do 3º BPM, o coronel da reserva estava 'visivelmente embriagado'

Por O Dia

Segundo a ocorrência, coronel estava 'visivelmente embriagado'
Segundo a ocorrência, coronel estava 'visivelmente embriagado' -
Rio - Um coronel da reserva da PM se envolveu em uma confusão com policiais militares que realizavam patrulhamento na madrugada deste sábado na Rua Joaquim Martins, em Piedade. Segundo ocorrência do 3º BPM (Méier), Carlos Henrique Alves de Lima estava "visivelmente embriagado", desferiu um soco no braço de um soldado o desacatou.

O coronel teria se irritado quando a guarnição pediu que ele desembarcasse de seu Honda Civic, após cinco pessoas pedirem socorro apontando para o carro. O condutor teria dito, então, que não iria sair e questionado: “Por que aquele soldado de m... está apontando o fuzil para mim?". Os soldados relataram que Lima, em seguida, afirmou ser coronel e que não estava com sua identificação. “Você é um bostinha”, teria dito o coronel a um dos soldados.

A ocorrência relata ainda que Lima ameaçou prender o soldado, apresentou sua carteira de habilitação e fugiu do local. As pessoas que pediram socorro informaram, também segundo a ocorrência, que o coronel jogou seu carro em cima deles e os xingou.

Um vídeo que circulou nas redes sociais mostra uma parte da confusão. Nas imagens, Lima argumenta com um dos agentes que não anda com sua identificação de policial. O soldado que teria sido agredido argumenta: "Eu estou fardado exercendo a minha função. O senhor está à paisana". O coronel retruca: "Eu fui te ajudar. Você é um merdão, seu bundão, babacão. Você é um soldadinho. Eu sou coronel e você é um soldadinho".

O agente em serviço manda o coronel "calar a boca" e completa: "O senhor está à paisana, não se apresentou para mim. Eu estou fardado exercendo a minha função. O senhor tentou me agredir. Se o senhor pega uma arma e não se apresenta pra mim, eu te mato e acabou".

A ocorrência foi conduzida para a 23ª DP (Méier) e encaminhado para a 1ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar.

Comentários