Alunos agridem estudante e exaltam regime militar em curso preparatório para o Exército

Confusão aconteceu na unidade da Tijuca do Colégio Elite. Alunos foram levados para a 18ª DP

Por Bernardo Costa

Alunos escreveram no quadro palavras de exaltação à ditadura militar
Alunos escreveram no quadro palavras de exaltação à ditadura militar -
Rio - Um grupo de alunos provocou pânico, na manhã de quarta-feira, no fim da aula que encerrou o curso para a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), na unidade da Tijuca do Colégio Elite. Segundo testemunhas, sinalizadores foram acesos por estudantes dentro da escola e uma estudante foi agredida com um soco no rosto. No quadro negro foram escritos, além de palavrões, os dizeres ‘1964, revolução glorioso (sic)’ e ‘Ustra!’, uma referência ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, reconhecido pela Justiça brasileira como torturador de presos políticos na ditadura militar.

Segundo o relato do pai de um aluno, que pediu para não ser identificado, o acionamento de sinalizadores aconteceu dentro de uma sala de aula e no corredor do colégio. Um outro artefato foi colocado dentro da mochila de uma estudante. “Eles ainda fizeram corredor polonês e, na sala em que estava meu filho, reviraram todas as cadeiras e bloquearam a passagem. Uma menina tentou sair e foi agredida com um soco no rosto”, relatou.

Ainda segundo ele, a confusão seria uma ‘comemoração’ pelo último dia de aula do curso preparatório para a EsPCEx, cujas provas serão realizadas neste fim de semana. A Polícia Militar chegou a ser acionada.

Segundo informações do 6º BPM (Tijuca), uma equipe foi chamada ao local, na Rua São Francisco Xavier, para conter uma briga de alunos que estaria programada para acontecer na saída da escola. No local, os policiais militares foram informados que um estudante havia acendido sinalizadores dentro da escola e um outro tinha agredido uma aluna. Segundo a PM, havia muita fumaça no interior do colégio, o que causou pânico entre funcionários e estudantes. Um sinalizador foi apreendido pela PM com um dos suspeitos de dar início ao tumulto.

Os envolvidos na confusão foram levados para a 18ª DP (Praça da Bandeira), onde o caso foi registrado. Segundo a Polícia Civil, foi lavrado um termo circunstanciado de ocorrência para apurar o caso. Todos os envolvidos prestaram esclarecimentos e vão responder, em liberdade, por lesão corporal e ‘contravenção de arremesso ou colocação de coisa perigosa’.

O procedimento foi encaminhado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim). O Elite Rede de Ensino confirmou que os alunos envolvidos no tumulto eram da turma preparatória para a EsPCEx e informou que “está tomando as providências internas de acordo com o regimento escolar e prezando pela segurança e bem-estar dos alunos”.

Colaborou Waleska Borges
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários