Segurança Presente pode ser implementado em todo estado

Governador terá até 15 dias úteis para decidir pela sanção ou veto

Por O Dia

Operação Segurança Presente
Operação Segurança Presente -
Rio - O programa Segurança Presente pode ser sem implementado em todo o estado.  A determinação é do projeto de lei do deputado Rosenverg Reis (MDB), que foi aprovado em segunda discussão pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta terça-feira.
A norma será encaminhada ao governador Wilson Witzel, que terá até 15 dias úteis para decidir pela sanção ou veto.“Vivemos diariamente com olhar desconfiado, entrando em lojas para atender o telefone, evitando alguns lugares a noite, ou então até mesmo o simples ato de se sentar no banco de uma praça. Hábitos que se tornaram preocupantes no nosso dia a dia, tendo em vista a ausência de segurança nas ruas”, afirmou Rosenverg.
Apoio da Alerj
Em agosto, o Segurança Presente chegou a Nova Iguaçu. O município foi o primeiro da Baixada Fluminense a receber o programa, a partir de uma parceria entre o Governo do Estado e a Alerj. Em Nova Iguaçu, são cerca de 96 agentes fixos contratados, entre policiais militares e civis egressos das Forças Armadas, e três assistentes sociais atuando na região do Centro, além de 37 vagas diárias para PMs que queiram trabalhar na folga.
O programa funciona todos os dias, das 8h às 20h.O programaO Segurança Presente foi lançado em dezembro de 2015 no Méier, na Lagoa Rodrigo de Freitas e no Aterro do Flamengo. Entre 2015 e 2019, ocorreram mais de 13 mil prisões em flagrante, sendo 1.089 referentes a furtos, quase seis mil por posse e uso de drogas e cerca de mil por roubos. Atualmente, o programa já foi expandido para outros bairros, como o Centro, a Lapa e Laranjeiras. O Governo do Estado também já anunciou a ampliação do programa, até o final deste ano, para outras localidades, como os bairros de Bangu e Vila Isabel, na capital fluminense.

Comentários